4 Comandos Básicos para Cães que deve Treinar

Quer começar o adestramento do seu cachorro mas não sabe como?

Neste artigo falamos dos 4 comandos essenciais que todos os cães devem aprender.

Ensine o seu cachorro a sentar, deitar, ficar e vir.

Comandos básicos para cães

O adestramento de cães é uma parte essencial do seu desenvolvimento. Para além de aprender a como educar o cachorro para fazer as necessidades e como fazer a socialização correcta (apresentar pessoas e animais ao cachorro), deve aprender a como treinar um cachorro.

O treino básico melhora a relação entre o dono e o cão e previne muitos dos problemas comportamentais. Por exemplo, “senta e fica” pode ser usado para redireccionar a atenção do cão ou para o controlar numa situação difícil. Se não sabe por onde começar, pode ler as nossas dicas gerais de como treinar o cachorro.

Vamos agora ensinar-lhe os 4 comandos básicos mais úteis que deve ensinar ao seu cachorro:

1. Ensinar cão a sentar

  • Movimento da cão com guloseima sobre a cabeça faz o cão sentar;
  • Diz-se “senta” e dá-se reforço (dar a guloseima) sempre que o faz;
  • Treina-se sem a guloseima na mão mas continua a dar-se o reforço se fizer bem.

O comando “senta” é normalmente o primeiro a ser treinado. Então como ensinar cachorro a sentar? Para treinar o cão a sentar, no início do treino pode ser ajudado pelo uso de um engodo. O movimento da mão segurando a guloseima induz o cão a sentar. Posteriormente pode ser substituido por um sinal.

Para ensinar a sentar coloque-se à frente do cão. Segure a guloseima na mão esquerda e deixe o cão cheirar. Mova a mão sobre a cabeça do cão e diga “senta”. O cão ao seguir o engodo vai olhar para cima e colocar mais peso na parte posterior do corpo, o que vai fazer o cão sentar-se naturalmente. A guloseima é fornecida de imediato e o dono deve continuar a louvá-lo enquanto a come.

Quando se senta, o cão deve ser libertado da posição. Normalmente usa-se “ok” num tom neutro e calmo. Libertar da posição com um tom entusiástico pode reforçar o levantar e não o comportamento desejado.

No momento em que o cão se começa a sentar espontaneamente, deve-se remover o engodo e apenas sinalizar com a mão e vocalmente. A guloseima é fornecida se o cão se sentar. Se continuar a utilizar o engodo o cão pode começar a esperar por ver a guloseima antes de demonstar o comportamento certo.

2. Ensinar o cão a deitar

  • Inicia-se com o cão sentado e faz-se seguir a guloseima na mão até deitar;
  • Reforço sempre que faz bem;
  • Substituir a guloseima na mão por um gesto que simbolize deitar.

Quando o comando “senta” for cumprido pode-se ensinar o cão a deitar. Para ensinar o cão a deitar, inicia-se o treino inicia-se com o cão sentado ao lado do dono. O dono pode estar de pé ou ajoelhado, com uma mão nas costas do cão e outra segurando uma guloseima.

Deixa-se o cão cheirar a guloseima e move-se a mão para baixo e para a frente, até estar à frente das patas anteriores, e diz-se “deita”. Seguir o movimento vai fazer o cão deitar-se. O treino é reforçado com a guloseima, elogios e festas nas costas.

Se o cão demonstrar outro comportamento para além do deitar não deve ser recompensado. Como a posição deitado é submissa, alguns cães têm resistência a aprender este comando. Nesse caso deverá fazer-se o treino por passos. Por exemplo, primeiro esticar as patas e baixar a cabeça.

O engodo deve ser removido ainda no início do treino para evitar a associação do comportamento à guloseima na mão. O movimento da mão deve desaparecer gradualmente ou ser substituído por um curto movimento para baixo como sinal para deitar.

3. Ensinar cão a ficar

  • Inicia-se com o cão sentado ou deitado;
  • Treina-se para o cão tolerar períodos de tempo em que está imóvel;
  • Aumenta-se o tempo e a distância do dono;
  • Reforça-se o comportamento correcto.

O comando “fica” permite reforçar comportamentos calmos e relaxados. Então como ensinar cão a ficar? Entre sentado ou deitado, deve-se escolher a posição que o cão aceite melhor. Inicialmente treina-se a duração em que fica imóvel. Quando tolerar 1 a 2 minutos imóveis pode-se treinar uma maior distância entre o cão e dono.

A duração é treinada começando-se por curtos períodos predeterminados que são recompensados com guloseimas, festas e elogios. O tom de voz do dono deve ser calmo, permitindo o cão relaxar. Inicia-se com um período muito curto (1 a 2 segundos) e prolonga-se gradualmente quando o cão dominar o período anterior.

Movimentos devem ser ignorados, pedindo-se novamente para o cão sentar ou deitar. O dono mantêm-se próximo e segura na trela. O cão é libertado do comando com o “ok” e todas as recompensas devem cessar.

Quando o cão se mantêm em posição por 1 a 2 minutos pode ser introduzida a distância. Inicia-se dando um passo para trás e voltando imediatamente para reforçar o comportamento. Este vai se repetindo, mudando a direcção e aumentando a distância.

Se o cão seguir o dono é porque o treino da distância é prematuro e deve-se voltar a treinar a duração do “fica”. Quando o cão estiver muito treinado, o dono pode experimentar sair da sala ou do campo de visão do cão.

A duração e distância são combinadas lentamente aumentando ambas. Quando o cão domina estes factores, o treino baseia-se em generalizar este comportamento noutros contextos e locais.

4. Ensinar cão a vir quando chamado

  • Chamar pelo nome e quando olha dá-se recompensa;
  • Quando responde ao nome treinar o “vem” em situações que normalmente o cão vai para o dono (ex. ao por comida na taça);
  • Treinar o comando “vem” em situações diferentes.

É um comando que para além de ser básico pode salvar a vida ao cão. Saber que o cão vem quando chamado permite ter mais confiança e até deixá-lo correr sem trela.

No entanto alguns cães passam a associar o seu nome com algo negativo. Isto acontece porque o dono o chama para lhe por a trela e ir para casa, administrar medicamentos ou ralhar quando faz algo errado. Nesses casos o cão deixa de responder ao comando.

Treino do comando “vem” tem que ser associado a um estimulo positivo de grande valor, como uma guloseima ou brinquedo favorito. Quer-se que o cão olhe e venha suficientemente perto para ser tocado pelo dono. O treino é solidificado mudando a distância e contexto.

Então como ensinar o cão a vir ao dono?

Ao chamar o nome, espera-se que o cão olhe para o dono na expectativa de ouvir outro comando. Este treino deve ser feita num local calmo da casa, com o dono perto do cão. Diz-se o nome calmamente e, se o cão olhar, toca-se na coleira e oferece-se uma recompensa.

Esta sequência é repetida 10 a 20 vezes com o cão perto. Pode-se depois alterar a distância e repetir. Tocar na coleira permite assegurar que cão está perto e que passa a associá-lo a algo positivo. Generaliza-se treinando noutros locais.

Quando responde ao nome pode-se ensinar a vir.

Deve se começar num local sem distracções e em que o cão está altamente motivado. Por exemplo, quando se serve a refeição ou quando o dono regressa a casa.

Em situações de exterior e para prevenir que o cão não venha, deve ser mantido numa trela comprida. Se não responder, o dono pode usar a trela para o guiar até si. Treino sem trela só é recomendado em zonas seguras, como num jardim fechado.

Tal como os restantes treinos, deve-se treinar a distância, tempo e contextos. No entanto há sempre potencial do cão melhor treinado não responder por existir outro estímulo mais atractivo, logo deverá mantê-lo preso pela trela em locais públicos.

Conclusão

Estes 4 comandos, senta, deita, fica e vem, são essenciais ao treino de qualquer cachorro porque permite que o dono o consiga acalmar e manter o controlo em situações perigosas que possam ocorrer no dia-a-dia.

Já treinou o seu cachorro? Conte-nos como foi nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *