Como ler os rótulos de rações para animais?

Quando vamos escolher uma ração para o nosso animal muitas vezes lemos o rótulo na tentativa de avaliar qual é a melhor escolha. Mas com tanta informação muitas vezes não é fácil. O mais importante no rótulo é ler-se ração completa, e a espécie e actividade ou idade adequada ao seu animal (ex. para bebés, adultos, castrados).

O que é obrigatório estar no rótulo da ração para animais?

Segundo a legislação portuguesa, no rótulo deve constar a denominação (ex. alimento composto completo), a espécie a que se destina, o modo de emprego, as matérias primas, os constituintes analíticos, empresa e contacto, quantidade, lote, data de durabilidade mínima e número de estabelecimento.

 

Constituintes analíticos

Referem-se à quantidade dos nutrientes presentes no alimento. No entanto, os rótulos podem conter a quantidade mínima, podendo ocorrer variação no que se encontra no interior da embalagem. Por outro lado, os testes laboratoriais realizados para avaliar os nutrientes não são 100% exactos.

Listas de Ingredientes nas Rações para Animais

Os ingredientes encontram-se organizados de forma decrescente. A qualidade do mesmo ingrediente pode variar, originando digestibilidades e valores nutricionais diferentes apesar do nome referido ser o mesmo. Isto é algo que o consumidor não consegue avaliar, mas em principio rações mais caras usam ingredientes de melhor qualidade. O importante é que a combinação de ingredientes forneça os nutrientes necessários ao animal, o que é garantido se a dieta for completa.

Uma forma de "diluir" a percentagem de um certo ingrediente é apresentar várias formas para o mesmo. Por exemplo, se tivermos 5% de farelo de trigo e 5% de farinha de trigo é uma forma de disfarçar o uso de 10% de trigo na formulação. Em rações húmidas, poderá utilizar-se o conteúdo em humidade que dá mais peso a um ingrediente com melhor aceitabilidade pelo consumidor para o colocar em primeiro lugar na lista, por isso deverá considerar-se a matéria seca que realmente demonstra como cada ingrediente contribui para os nutrientes.

 

Modo de emprego

A determinação da quantidade a fornecer a um intervalo de pesos de animais depende do número de calorias na dieta. Ou seja, quando se fornece x gramas de ração que fornecem todas as calorias necessárias ao animal, os restantes nutrientes também deverão estar  contidos nessa quantidade de ração. A determinação das calorias na dieta pode ser feita por testes laboratoriais ou através de formulas matemáticas que utilizam as percentagens de constituintes analíticos.

Publicidade

Como qualquer produto, as rações animais são feitas para agradar ao dono. No fim de contas, este é quem escolhe o produto e o compra. Portanto muitos produtos incidem na tentativa de agradar ao dono, sendo pela conveniência, nutrição superior ou pela simulação de pratos conhecidos. Para muitos donos a prontidão com que o animal come a ração é o factor determinante, associado à palatibilidade e aceitabilidade. Realmente este é um aspecto importante, visto que se o animal não ingerir a ração vai sofrer deficiências em nutrientes. Por outro lado, excesso de palatibilidade pode levar o animal a ingerir grandes quantidades, se as porções não forem controladas, e a ficar obeso.

Conclusão

A avaliação de rótulos não é uma tarefa fácil ou exacta, visto que a informação fornecida no rótulo é limitada. O mais importante é fornecer rações nutricionalmente equilibradas.

 

 

Referências:
Canine and Feline Nutrition, 3ª Edição
Legislação portuguesa sobre rações animais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *