Dieta de Carne Crua para cães e gatos

O que é a dieta de carne crua?

A dieta de carne crua é uma dieta caseira que simula a composição de uma presa através do fornecimento de carne, vísceras, ossos crus e alguns suplementos. Esta dieta alega trazer vantagens como menor carga glicemica, protecção do sistema urinário, menor risco de periodontite e melhoramento das fezes. Como desvantagens apontam a carga acrescida de trabalho ao preparar refeições diárias para os animais.

 

Porque é que os donos preferem utilizar a dieta de carne crua?

Os donos têm como objectivo fornecer uma melhor dieta, natural, orgânica e sem aditivos e contaminantes. Os animais aceitam-na devido à sua elevada palatabilidade.

Vantagens:

  • Simula a presa
  • Menor carga glicemica
  • Melhoramento da consistencia das fezes
  • Sem aditivos e conservantes

Como fornecer uma dieta de carne crua ao seu cão?

O alimento a fornecer ao seu animal por dia corresponde entre 3 a 10% do seu peso corporal (fornecendo-se maiores valores a raças mais pequenas). Em cães adultos fornece-se 50% de ossos carnudos, 25% de vegetais, 15% carnes e 10% de vísceras, suplementando-se com sal iodado e óleo vegetal. Recomenda-se uma congelação previa das carnes para reduzir o risco de transmissão de parasitas.

Quais são os riscos da dieta de carne crua?

Esta dieta é dificilmente completa ou equilibrada, mesmo recorrendo à variação de alimentos e à suplementação. A maioria das dietas apresenta deficiência em cálcio, potássio, fósforo, zinco e taurina. Suplementos humanos de vitamina D são frequentemente fornecidos em excesso. Esta alimentação poderá originar hiperparatiroidismo secundário, tanto pela baixo concentração em cálcio fornecida como por alimentação com vísceras que incluam a tiróide.

Apesar destas dietas terem baixas quantidades de carboidratos, têm muita gordura com elevado valor calórico. Podem contribuir para a obesidade e crescimento rápido, o que pode originar patologias ortopédicas.

A digestabilidade da dieta crua não é melhor quando comparada com rações comerciais, havendo variações nos resultados dependendo do nutriente em causa. Ou seja, a dieta não é mais absorvida pelo organismo em comparação com as dietas comerciais.

Os ossos crus são perigosos para a saúde do seu animal, podendo causar perfurações e obstruções das vísceras ou provocar facturas dentarias. A dieta rica em ossos não fornece cálcio que o seu cão necessita, sendo deficiente neste mineral. Apesar dos ossos reduzirem o tártaro, não contribuem para a redução do risco de placa dentária ou periodontite.

Carne crua pode por em risco a saúde do animal devido à presença de bactérias como Campylobacter e Salmonella, ou parasitas como o Toxoplasma. Carne para consumo humano pressupõe que irá ser cozinhada portanto poderá conter estes patogénios. A congelação previa permite reduzir o risco, mas não o elimina por completo.

Os restos da alimentação deverão ser descartados de imediato quando o cão termina a sua refeição. As taças deverão ser lavadas para impedir o crescimento microbiano.

O contacto com o cão que segue a dieta pode por em risco a saúde dos seu donos devido à transmissão destes agentes. Dietas comerciais apresentam maior segurança visto que seguem um rigoroso controlo microbiologico.

A maior resposta imune registada pode ser em reposta à ingestão destes agentes pela alimentação. Por outro lado, esta dieta poderá trazer vantagens quanto ao equilíbrio do microbioma intestinal.

Conclusão

Se pretende alimentar o seu animal com uma dieta de carne crua, deverá considerar as vantagens e desvantagens desta dieta. Tomando a decisão de a seguir, é recomendado consultar um medico veterinário nutricionista e informar-se sobre as necessidades específicas do seu animal. Também poderá recorrer a dietas comerciais de carne crua, como BARF®, que poderá facilitar a vida do dono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *