Sarna notoédrica em gatos

A sarna notoédrica é a mais comum das apresentações de sarna em gatos. Apresenta-se como pele enrugada e crostas na área da cabeça e pescoço aliadas a um prurido intenso.

O tratamento é simples e consiste em banhos ou injecções periódicas. É recomendado tratar todos os animais da casa uma vez que poderão ser portadores.

O que é a sarna notoédrica?

A sarna notoedrica em gatos é uma doença parasitária altamente contagiosa causada por Notoedres cati. É conhecida como a sarna dos gatos, uma vez que a sarna sarcóptica (provocada por Sarcoptes scabiei) é rara nesta espécie.

Transmissão da sarna notoédrica em gatos

O ácaro N. cati infecta principalmente gatos. Mas também poderá afectar raposas, cães e coelhos. Em gatos, afecta animais jovens e debilitados.

É altamente contagiosa por contacto directo e normalmente afecta ninhadas de animais ou animais da mesma casa. O ácaro também poderá sobreviver fora do hospedeiro alguns dias. Os animais infectados têm elevados números do ácaro na pele, sendo detectados por raspagem superficial.

Sintomas da sarna notoédrica em gatos

A sarna notoedrica felina inicia-se como dermatite pruriginosa com crostas na área da cabeça, podendo posteriormente estender-se ao resto do corpo.

As lesões características aparecem nas orelhas, espalhando-se rapidamente à cabeça e pescoço. Também poderão afectar as patas e períneo, provavelmente devido aos hábitos de limpeza dos gatos.

Os ácaros fêmeas enterram-se na camada córnea da pele entre os folículos do pelo, formando pápulas. A pele rapidamente se torna grossa e enrugada, formando-se mais tarde crostas amarelas-acinzentadas.

Aparece alopecia parcial nas zonas afectas e desenvolve-se prurido intenso. O animal coça-se e lesiona a pele, favorecendo o aparecimento de infecções bacterianas secundárias. Com a progressão da doença maior é a área corporal afectada.

Diagnóstico da sarna notoédrica em gatos

Se suspeita de sarna notoédrica felina deverá levar o seu gato ao médico veterinário. Normalmente o diagnóstico é clinico. As lesões e prurido intenso são altamente sugestivos.

A raspagem superficial da pele permite recolher amostras que podem conter ácaros. Identificação do N. cati ao microscópio permite confirmar o diagnóstico.

Tratamento de sana notoédrica em gatos

O tratamento pode fazer-se através de banhos de amitraz ou enxofre. Para se realizar o banho poderá ser necessário sedar o animal. Antes da aplicação do principio activo deverá ser cortado o pelo (quando necessário) e retiradas as crostas.

Para retirar as crostas aconselha-se a dar banho em água morna e sabão. Remover as crostas facilita a penetração e acção do princípio activo. O gato é de seguida mergulhado na solução de enxofre ou amitraz.

O tratamento deve ser repetido a cada semana por 6 a 8 semanas, no caso do enxofre, ou 2 a 3 semanas, no caso do amitraz. Todos os animais da casa devem ser tratados uma vez que podem ser portadores. Outra opção é o tratamento com uma injecção subcutânea de ivermectina.

Não deverá aplicar o tratamento sem consultar o seu veterinário. Existem vários medicamentos para sarna no mercado mas nem todos podem ser utilizados em gatos. Os gatos, devido ao seu metabolismo, são mais sensíveis que os cães e poderão não tolerar esses fármacos, podendo mesmo ser fatais.

Sarna notoedrica em humanos

Esta ácaro pode infectar humanos que entraram em contacto com animais portadores, causando lesões transientes. Formam-se eritemas e pápulas vermelhas semelhantes à picada de insectos. Afecta principalmente as mãos e pernas, causando prurido intenso.

Como o ciclo de vida do ácaro não pode ser completado no humano, a infestação é auto-limitante e cura-se espontaneamente. No entanto, o seu elevado prurido torna-a desconfortável. E se o contacto com animais infectados se mantiver, o humano pode ser re-infestado e manter os sintomas por períodos mais prolongados de tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *