O que é a tríade felina (ou tríadite felina)?

O que é a tríade felina?

A tríade felina, ou tríadite felina, é um síndrome que cursa com três doenças: colangite ou colangiohepatite felina, pancreatite felina e doença inflamatória intestinal (IBD). Este síndrome apenas ocorre em gatos não tendo sido detectado em nenhuma outra espécie. A associação parece estar relacionada com um mecanismo comum de doença.

 

Colangite felina ou colangiohepatite felina

A colangite em gatos é uma inflamação ou infecção do ducto biliar, enquanto que a colangiohepatite afecta o ducto biliar e fígado. É a segunda doença hepática mais comum em gatos (depois da lípidose hepática).

A colangite neutrofílica acontece por infecção gastrointestinal que sobe e afecta o ducto biliar. Muitas vezes está associado À pancreatite. Acontece principalmente em gatos mais velhos e está associado ao bloqueio da saída de bílis por inflamação (estase biliar).

A conlangite linfocítica é crónica e mais comuns em gatos jovens (principalmente Persas). Pensa-se que tem origem auto-imune ou associada a uma infecção por Helicobacter. Como o ducto biliar está inflamado, está mais sensível a inflamações secundárias

 

Pancreatite em gatos

É a doença no pâncreas que acontece por autodigestão. Uma porção do pâncreas é responsável pela produção da insulina (tecido endócrino). Outra é responsável pela produção de enzimas pancreáticas que serão lançadas no duodeno (tecido exócrino).

Quando as enzimas digestivas do pâncreas são activadas demasiado cedo (ainda no pâncreas) ocorre autodigestão. Isto origina uma inflamação. Pode ser aguda, onde se cura removendo a causa, ou crónica e por isso irreversível, com atrofia e fibrose.

 

Doença Inflamatória Intestinal (IBD)

É uma doença intestinal com sinais persistentes de inflamação. Cursa com vómitos e diarreia, podendo também apresentar alterações a nível intestinal (dor abdominal, engrossamento do intestino).

É uma doença pouco compreendida em que existe alteração da arquitectura do tecido intestinal. É diagnosticada por exclusão de outras doenças.

 

Como ocorre a tríade felina?

A tríade felina envolve vários orgãos e parece ter um mecanismo comum. Por isso, recomenda-se que quando o gato que sofre de uma destas doenças, se despistem as restantes.

Existem duas teorias em relação à associação destas três doenças. A origem da tríade felina pode estar associada à anatomia do gato. No gato, o ducto hepático e o ducto pancreático podem estar fundidos.

Esta disposição facilita a transmissão de enzimas, toxinas e bactérias entre os três órgãos. Por exemplo, as bactérias que vivem no intestino debilitado na doença inflamatória intestinal poderão subir pelo ducto afectando em simultâneo o pâncreas e o ducto biliar (infecção ascendente). Assim, justificava-se que a tríade seja só diagnosticada em gatos-

Outra teoria defende que na doença inflamatória intestinal há debilidade da mucosa intestinal. Assim, bactérias, tóxinas e mediadores inflamatórios libertados na própria patologia podem entrar na circulação sanguínea. Como o sangue do intestino passa no fígado, aqui poderiam actuar causando outro foco de inflamação e originando então a colangiohepatite e pâncreatite.

 

Sinais clínicos da tríade felina

Os sinais da tríade felina são vagos e podem ser intermitentes. Normalmente, os sinais têm como principal origem a colangite. Portanto, num gato com tríade felina poderá observar:

  • Anorexia;
  • Vómito;
  • Diarreia crónica;
  • Letargia;
  • Perda de peso;
  • Desidratação;
  • Febre;
  • Icterícia;
  • Sensibilidade à palpação abdominal;
  • Espessamento do intestino;
  • Aumento do fígado;
  • Anemia;
  • Aumento de enzimas hepáticas (ALT, FA, GGT).

 

Diagnóstico da tríade felina

O diagnóstico da tríade felina é difícil. Requer identificação de três doenças que têm sinais em comum. O diagnóstico mais utilizado baseia-se na análise de sangue e ecografia aos três orgãos (pâncreas, fígado e intestino).

Na ecografia poderá observar-se sinais de inflamação relacionados em estas doenças. Nas análise de sangue poderá haver neutrofilia ou anemia.

No entanto, o diagnóstico definitivo deveria basear-se na biópsia aos três orgãos. A biopsia consiste na remoção de uma pequena amostra de tecido do orgão. Esta será avaliada ao microscópio para identificar alterações com o orgão (histopatologia).

Para se obter a biopsia seria necessária a cirurgia com abertura de abdómen (laparotomia exploratória). Logo, muitos donos e veterinários optam por um diagnóstico mais conservador.

 

Tratamento da tríade felina

O tratamento da tríade felina é um tratamento de suporte. Devem-se controlar os sinais apresentados pelo animal, bem como travar a possível infecção bacteriana que poderá estar na origem do problema.

Por isso, faz-se fluídoterapia para repor líquidos e electrólitos, anti-eméticos para controlar os vómitos e protectores gástricos. Por último, dá-se antibiótico (preferencialmente após identificação laboratorial da bactéria) que permite controlar a possível infecção. A dieta poderá ser ajustada na tentativa de controlar a doença intestinal, por exemplo usando-se dietas hipoalergénicas.

Triade felina tem cura? A triade felina não pode ser curada, uma vez que é constituída por doenças crónicas com alteração irreversível dos tecidos. No entanto, poderá ser controlada com medicação. O prognóstico é favorável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *