Rações sem cereais: as vantagens, desvantagens e a doença cardíaca em cães

0

Uma tendência na alimentação animal é o uso de dietas sem cereais. Os argumentos a favor desta dieta baseiam-se em alegadas melhorias na saúde animal. No entanto, até ao momento, ainda não foi comprovado por testes rigorosos a validade destes argumentos.

Desconstruindo os argumentos a favor das rações sem cereais

Os principais argumentos das rações sem cereais baseiam-se na melhoria da composição da ração, com maior equilíbrio de nutrientes, em evitar a digestão de cereais difíceis de digerir, e evitar os problemas de pele relacionados (alergias alimentares?).

No entanto, estes argumentos apresentam falhas lógicas. Por exemplo, o equilíbrio de nutrientes é condição obrigatória a todas as rações comerciais completas. Todas as rações completas são formuladas para fornecer todos os nutrientes necessários ao animal, independentemente dos ingredientes utilizados.

Por outro lado, não há provas concretas que os cereais sejam difíceis de digerir. Ao contrário dos argumentos de que a dieta do cão se deve aproximar ao lobo (também utilizada nas rações cruas), a domesticação do cão causou alterações severas levando à necessidade de o classificar nova espécie e não como lobo. Uma dessas adaptações foi a melhoria a digestão de ingredientes ricos em carbohidratos, devido ao consumo de restos de alimentos humanos.

Os problemas de pele também são uma falácia. A menos que o animal sofra de uma alergia alimentar, não há razão para excluir alimentos da sua dieta. Além de que as alergias alimentares normalmente são reações a proteínas presentes na dieta, e em primeiro lugar estão a alergia a carnes de diversas fontes. Por outro lado, o brilho do pelo normalmente relaciona-se com o consumo de gorduras e não a exclusão de fontes de carbohidratos.

Finalmente, outro argumento é que os carbohidratos não são nutrientes essenciais à dieta do animal. Este ponto é verdade. No entanto, não justifica a retirada integrar de fontes de carbohidratos. Apesar dos carbohidratos não serem essenciais, eles fornecem energia a baixo custo que permite preservar as proteínas e gorduras para as suas funções estruturais no organismo, e evitar o sobrecarga do fígado e rins, que ocorreria se o organismo tivesse que converter apenas proteínas e gorduras em energia.

Logo, ainda não existem provas concretas de que as rações sem cereais sejam benéficas para a saúde do animal. No entanto, já se começam a conhecer algumas das consequências das alterações na dieta causadas por esta opção.

Problemas reais com as rações sem cereais

Apesar da atual falta de provas cientificas sobre os benefícios das rações sem cereais, as companhias de ração têm aproveitado esta tendência para venderem produtos com uma estratégia de marketing duvidosa.

Para a produção de rações sem cereais ser possível, substituíram-nos por outras fontes de carbohidratos, como a batata. No entanto, não há qualquer evidencia que estas fontes sejam mais seguras que os cereais, como o trigo e milho.

A utilização de rações sem cereais não seria um problema desde que a nutricionalmente a ração fosse equilibrada. Tal como todas as rações, o que importa é o equilíbrio dos macro e micronutrientes, e não os seus ingredientes.

No entanto, os médicos veterinários começaram a observar uma maior incidência de uma doença cardíaca (cardiomiopatia dilatada) em cães que se alimentavam de rações sem cereais. Esta relação parece resultar da deficiência de um aminoácido – a taurina. Após o alerta, a Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, iniciou a análise deste problema.

A Dra. Jennifer Larsen, médica veterinária nutricionista, apresenta argumentos que resumem a característica multifactorial da deficiência em taurina.

A taurina não é um aminoácido essencial para os cães, pelo que não precisa de ser incluído na ração pois o organismo consegue produzi-lo. No entanto, factores nutricionais, como fontes de proteína, fibra, métodos de cozedura, e individuais, como a raça, podem influenciar a produção do aminoácido e originar doença cardíaca.

Os aminoácidos ricos em enxofre e a sua biodisponibilidade são importante para a produção de taurina. No entanto, as rações sem cereais que usam legumes como fontes de carbohidratos, mas que também contribuem com proteína, são deficientes neste aminoácidos (metionina e cisteína) percursores da taurina. A utilização de baixas concentrações de proteína nestas dietas, devido ao seu custo, também poderá ser um fator adjuvante.

Altas quantidades de fibra na dieta podem aumentar a eliminação de taurina nas fezes ou pelos microrganismos intestinais, não sendo absorvida. Por outro lado, animais que necessitem de ingerir menos calorias comem menos e poderão não receber aminoácidos e proteínas suficientes destas dietas.

Por outro lado, pensa-se que algumas raças como os Newfoundlands and Golden Retrievers, produzam taurina em menores quantidades ou de uma forma mais lenta, que poderá justificar a sensibilidade destas raça ou indivíduos a certas dietas.

A deficiência em taurina com consequentes problemas cardíacos não só é reportada para dietas sem cereais, como noutras dietas alternativas, como dietas caseiras, dietas vegetarianas e dietas comerciais com vários perfis de nutrientes e ingredientes. Devido à falta de informação relativa às variáveis causadoras de doença, e da clara interpretação dos perfis nutricionais das rações comerciais, não é possível prever se um individuo será afetado por uma mudança para uma dieta não convencional. O ideal é o aconselhamento veterinário, bem como o acompanhamento de animais em dietas alternativas.

Qual é o veredicto para as dietas sem cereais?

Atualmente não existem argumentos válidos a favor de dietas sem cereais, baseando-se principalmente em provas anedóticas. A venda de rações sem cereais é, em parte, fomentada pelos produtores de rações para aumentarem a comercialização rações através de duvidosas alegações sobre os seus benefícios na saúde animal. No entanto, existe a possibilidade que provas cientificas, conduzidas num largo número de animais para reduzir o efeito de outros fatores que influenciem a saúde, possam vir a suportar este tipo de alimentação.

Apesar dos benefícios de dietas grain free não estarem comprovados, alguns dos seus perigos começam a ser conhecidos. Um destes riscos é o aumento da doença coronária em cães devido à deficiência num aminoácido, a taurina. Esta deficiência poderá resultar da falta de percursores em dietas vegetais.

Se o seu cão faz uma dieta sem cereais não há motivo para se preocupar. Uma vez que a cardiomiopatia dilatada resulta da ação de vários fatores, o seu cão poderá nunca vir a sofrer desta doença. De qualquer das formas, deverá discutir este problema com o seu médico veterinário e até determinar os valores de taurina no sangue para garantir que não há deficiência neste aminoácido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui