Guia dos hamsters domésticos

0

🐹 História e anatomia 🐹 Espécies de hamster 🐹 Comportamento e reprodução 🐹 Habitat 🐹 Nutrição 🐹 Saúde 🐹

Pequenos e encantadores, os hamsters são animais de estimação populares. Contudo, os hamsters requerem de cuidados adaptados às suas necessidades. Os hamsters domésticos são roedores noturnos cujo nome deriva do alemão “hamstern” que significa “armazenar” devido a carregarem alimentos nas bochechas para as suas tocas.

Os hamsters são animais geralmente tímidos e noturnos, pelo que gostam pouco de ser pegados. Logo, não são animais ideais para serem manipulados por crianças pequenas. Também são animais que precisam de cuidados e tempo para os manter felizes e saudáveis.

O hamster é um rato ou esquilo?

O hamster é um roedor (ordem Rodentia) assim como os castores, esquilos e ratos. Como pertencem à família Cricetinae, são mais próximos de alguns ratos e ratazanas. Logo, os hamsters não são da família dos esquilos. Também são diferentes dos ratos e ratazanas, distinguindo-se o hamster pelo seu corpo grande, cauda curta e bochechas com bolsas para armazenar alimento.

Quanto tempo vive um hamster?

O tempo de vida de um hamster doméstico é de 2 a 3 anos em cativeiro. Os hamsters selvagens vivem menos tempo no ambiente natural devido à falta de qualidade de vida e presença de predadores. O hamster doméstico mais velho do mundo viveu até aos 4.5 anos! Para que o hamster chegue aos 2 a 3 anos é necessário proporcionar-lhe as melhores condições de vida e cuidados de saúde.

Quanto custa um hamster?

Os hamsters à venda em Portugal têm um preço de 5 a 20€. Também poderá procurar adotar um hamster que esteja à procura de uma nova família. Deverá também ter em conta os custos da gaiola, acessórios, substrato, alimentação, e cuidados veterinários. Inicialmente, necessitará de comprar todo a gaiola e equipamentos, o que pode chegar aos 100€. Mensalmente, terá que comprar alimento e substrato, o que ficará por menos de 20€ por mês. Os cuidados veterinários irão variar de acordo com o motivo da consulta. Também deverá garantir que tem todo o tempo para providenciar os melhores cuidados de que o hamster necessita.

O que comem os hamsters?

Os hamsters são omnívoros e não herbívoros. Alimentam-se principalmente de sementes, frutas e vegetais, comendo ocasionalmente insetos. O hamster guarda comida nas bochechas transportando-a para a toca, onda a armazena em galerias próprias. Nos hamsters domésticos, a alimentação é a base de muesli, ração, frutas, legumes, vegetais e insetos.

Onde vivem os hamsters?

Na natureza, os hamsters vivem em áreas quentes e secas, como dunas e bordas de desertos da Eurásia. Nestas áreas constroem tocas subterrâneas onde se escondem durante o dia e armazenam alimentos. Existem 19 espécies de hamsters sendo apenas 5 criadas como hamsters domésticos. As espécies de hamster doméstico têm origem na Síria, Rússia, China e Mongólia. Já os hamsters domésticos vivem em gaiolas com substratos e esconderijos.

Um hamster pode viver sozinho?

É recomendando que os hamsters sejam alojados individualmente em gaiolas. Apesar de ser possível criar hamsters aos pares, como filhotes da mesma ninhada ou jovens do mesmo sexo, tal não é recomendado devido a possíveis agressões. O alojamento de animais de sexos opostos pode originar ninhadas indesejadas, com uma média de 7 filhotes, e também levar à agressão entre os animais e até mesmo ao canibalismo. Um grande número de animais (sobrepopulação) na mesma gaiola pode também causar stress que se traduz em doenças.

Quais são nomes mais comuns para hamster?

Existem centenas de nomes para hamsters, sendo algumas sugestões: Adolfo, Aquiles, Basílio, Baxter, Bingo, Biscoito, Caju, Chip, Conan, Dave, Dragão, Einstein, Faísca, Felix, Flash, Frodo, Geraldo, Goldie, Hercules, Hulk, Jerry, Julieta, Junior, Leão, Marvin, Mickey, Minnie, Neo, Newton, Olivia, Onix, Oscar, Petra, Rémy, Rex, Ricky, Rogan, Romeu, Sheldon, Skittles, Thor, Titan, Tommy.

🐹

História dos hamsters

O hamster sírio ou dourado foi o primeiro a ser descrito em 1839, mas a domesticação apenas foi bem-sucedida após 1939. Os hamsters sírios domésticos descendem todos de um casal capturado na Síria e domesticado em Jerusalém. Anos depois, os hamsters foram levados para os Estados Unidos onde se tornaram um animal de companhia popular, bem como animais de laboratório.

Anatomia dos hamsters

Os hamsters são animais roedores de corpos robustos, pelo macio que cobre as patas traseiras, e caudas curtas. Têm dentes incisivos alongados e com crescimento contínuo. Estes dentes requerem desgaste diário através da abrasão do roer.  Já os dentes nas bochechas não crescem continuamente. As bochechas têm “sacos” onde armazenam alimentos, substrato para o ninho e por vezes os filhotes. Os hamsters têm dois estômagos: um pré-estomago e um estomago glandular. O pré-estomago assemelha-se ao rúmen das vacas onde fazem a fermentação e absorvem os ácidos gordos voláteis resultantes.

Os hamsters têm uma visão pobre, sendo daltónicos e míopes. Esta visão leva a pouca percepção do espaço e distância. Mas isso não os impede de serem aventureiros e subirem às gaiolas. A visão pobre é compensada por um sentido de movimento e de olfato apurado. O olfato é importante para distinguirem entre sexos, encontrarem alimento, encontrarem a família, e marcar o território. Os hamsters comunicam com sons de agudos que podem chegar aos ultrassons.

🐹

Espécies de hamsters domésticos

As espécies de hamster doméstico incluem o hamster dourado ou sírio (Mesocricetus auratus), o hamster anão russo (Phodopus sungorus), o hamster anão de Campbell (Phodopus campbelli), o hamster de Roborovski (Phodopus roborovskii), e o hamster chinês (Cricetulus griseus).

Os hamsters anões têm metade do tamanho do hamster dourado. A cor do pelo de alguns hamsters pode mudar dependendo da estação do ano. Com a redução da luz do dia e arrefecimento no inverno, perdem a cor castanha e passam a uma coloração branca. No entanto, esta mudança pode não ocorrer no ambiente doméstico devido a menor variação de temperatura e horas de luz.

  • Hamster dourado ou sírio: são hamsters geralmente de cor dourada, existindo outras colorações, com um peso de 100 a 200 g e com 15 cm, sendo os mais comuns e fáceis de cuidar são recomendados para crianças.
  • Hamster anão russo: o hamster anão russo está preparado para climas frios trocando o seu pelo cinzento a castanho para uma pelagem branca no inverno, são pequenos e sociáveis.
  • Hamster anão de Campbell: com uma pelagem amarela a castanha e uma faixa no lombo, distinguem-se dos restantes anões por terem um pelo abundante.
  • Hamster de Roborovski: têm cor amarela com tons castanhos, marcas brancas sobre os olhos, e bigodes grandes, com tamanhos muito pequenos que requerem atenção redobrada para que não fujam.
  • Hamster chinês: com corpos elegantes e caudas compridas, pelagem cinza a castanha com uma faixa escura no dorso, orelhas pequenas e bicudas, e personalidade tímida e tranquila.

🐹

Comportamento e socialização

Os hamsters são animais crepusculares ou noturnos. Eles saem à noite para procurar alimento e evitar predadores. Durante o dia, escondem-se nas suas tocas escavadas no solo. Á noite armazenam alimento nas bochechas e acumulam-no em câmaras próprias nas suas tocas. No inverno, podem hibernar reduzindo a taxa metabólica e reduzindo a necessidade de alimento neste período.

Os hamsters são ótimos escavadores, construindo tocas com uma ou mais entradas e várias galerias. Usam as patas, focinho e dentes para cavar. No ambiente natural, as tocas oferecem proteção contra os predadores e condições climáticas mais estáveis. Existem tocas para ninhos, urinação, e armazém de alimentos.

Os hamsters são animais solitários. Forçá-los a partilhar a gaiola pode originar stress crónico ou agudo, bem como lutas agressivas que podem até ser fatais. Os hamsters anões podem tolerar melhor a presença de hamsters da mesma ninhada ou do mesmo sexo. No entanto, não é garantido que estes animais toleram a presença dos outros. A comunicação entre hamsters é feita através de glândulas de cheiro, linguagem corporal, e sons agudos.

O hamster dorme muito?

Tal como na natureza, durante o dia o hamster esconde-se na sua toca. Apenas ao final do dia ou durante a noite estará mais ativo. No inverno, se ficar muito frio, pode também hibernar aparentando dormir muito.

O hamster é dócil? É um animal doméstico ou selvagem?

Apesar de existirem hamsters selvagens, os hamsters usados como animais de estimação são domésticos. Os hamsters domésticos foram criados por várias gerações alterando algumas das suas características. No entanto, não são animais que gostem de estar sempre a ser afagados e pegados, como um cão ou gato. Logo, são animais mais difíceis de lidar no caso das crianças pequenas, especialmente as espécies anãs que são pequenas e rápidas. Os hamsters podem tornar-se mais sociáveis com interações frequentes e respeitando o seu espaço. A maior parte do tempo, poderá apreciar os seus comportamentos dentro da gaiola, onde estão mais confortáveis

Reprodução dos Hamsters

Os hamsters atingem a maturidade sexual em idades diferentes, tendo períodos de reprodução que variam de espécie para espécie. As fêmeas são férteis durante 18 meses e podem entrar em cio a cada 4 dias. O cio é identificado como a vermelhidão da área genial, cheiro almiscarado, bufar e vocalizações. O número de filhotes de cada ninhada varia, sendo em média 7 filhotes, mas podendo chegar aos 24! Os filhotes nascem com os olhos fechados e sem pelo, crescendo e sendo desmamados às 3 semanas.

EspécieMaturidade sexualÉpoca do cioTempo de gestação
Hamster sírio ou dourado4 – 5 semanasAbril a outubro16 – 18 dias
Hamster anão4 – 5 semanasTodo o ano18 – 21 dias
Hamster Roborovski4 mesesTodo o ano23 – 30 dias
Hamster chinês2 – 3 mesesTodo o ano21 – 23 dias

Após a cópula, as fêmeas devem ser separadas dos machos pois tornam-se agressivas. O canibalismo dos filhotes pode ocorrer logo após o parto devido a perturbações ou quando a ninhada é mantida por muito tempo (mais de 3 semanas) com a mãe. Logo, recomenda-se a separação dos filhotes logo após o desmame. Não se deve confundir o canibalismo com o transporte dos filhotes nas bochechas.

Como determinar o sexo de um hamster?

É difícil determinar o sexo dos hamsters, especialmente em animais jovens. Nos machos, a distância entre o ânus e a abertura genital é superior do que nas fêmeas. Os machos também têm uma papila genital proeminente com uma abertura redonda. Os testículos são grandes e movimentam-se entre o escroto e o abdómen. Na época reprodutiva, os testículos encontram-se no escroto permitindo a produção de espermatozoides. Fora da época reprodutiva, o médico veterinário pode movimentar os testículos para o escroto através de aplicação de pressão na zona abdominal inguinal.

Nas fêmeas, os orifícios vaginais e uretrais estão separados. Durante a ovulação, poderá haver uma descarga vaginal que não deve ser confundida com a infeção uterina. Dependendo da espécie, os hamsters têm glândulas que estão envolvidas no comportamento e marcação territorial.

🐹

Habitat para o hamster doméstico

Os hamsters são animais noturnos que se adaptam facilmente à catividade. Apesar de não tolerarem ser pegados e afagados por muito tempo, convém fazê-lo ocasionalmente para tornar o hamster mais dócil. Se forem perturbados repentinamente ou tiverem dores podem tornar-se agressivos ou morder.

O habitat para o hamster doméstico é simples de criar com alguma dedicação. Sendo animais que vivem em tocas e são noturnos, o ideal é construir o habitat numa gaiola à prova de fuga, com esconderijos que simulem as tocas naturais, e coloca-las num local calmo e arejado.

Gaiolas para hamsters

As gaiolas para hamsters devem ser à prova de fuga, permitir ventilação, e ser de fácil higiene. A maioria das gaiolas são de plástico ou de aço inoxidável. Fugas podem ocorrer por roer a caixa (ex. madeira, alumínio), empurrar a porta, ou roer o buraco da garrafa de água. Logo, a escolha da gaiola deve ter em conta a segurança e prevenção da fuga dos animais. O fundo da gaiola deve ser liso, não de rede, e coberto com substrato absorvente.

Substrato

As jaulas devem conter um substrato absorvente. O substrato tem a função de permitir o animal cavar, esconder-se e também de absorver a urina. Recomenda-se um substrato fibroso, como de feno, palha, fibras de milho, ou tiras de papel ou cartão. Alguns tipos de madeira, como madeira de pinho, podem contribuir para doenças respiratórias e peles. Logo, o uso de aparas de madeira não é recomendado. O substrato também poderá ser usado pelo hamster para a construção do ninho, em conjunto com papel ou algodão, e contribui para o seu bem-estar.

Iluminação, temperatura e humidade

Os hamsters no ambiente natural são influenciados pelas horas de luz solar, especialmente para a reprodução e hibernação. Em casa, utiliza-se 12 horas de luz e 12 horas de escuro. Para a reprodução, utiliza-se 14 horas de luz. A temperatura ideal é os 20 a 26ºC, sendo que temperaturas superiores induzem stress e inferiores a 5ºC podem levar à hibernação. A humidade relativa recomendada é de 30 a 70%.

Enriquecimento ambiental

O enriquecimento ambiental consiste em criar condições para que o animal exprima o seu comportamento natural, essencial ao bem-estar. Para os hamsters, o enriquecimento ambiental passa por ter substrato fundo para cavar, ter uma roda para exercício, objetos para roer, guloseimas escondidas, e caixas ou tubos por onde possam explorar e esconder-se. Como os hamsters passam muito tempo escondidos, é recomendado que tenham um ninho, tubo, labiritos ou abrigo. As rodas de exercício devem ser grandes o suficiente para que o hamster não se dobre muito enquanto corre.

Como se faz a higiene da gaiola?

Os hamsters requerem uma boa higiene da gaiola e boa ventilação para a manter seca e sem cheiros. Os hamsters, ao contrário de outros roedores, tendem a urinar e defecar num dos cantos da jaula. Como são animais adaptados para a ambientes áridos, produzem pouca urina. É recomendado fazer uma higiene total da gaiola, com lavagem e troca de substrato, pelo menos a cada 2 semanas. Trocas mais frequentes e limpezas localizadas de fezes e urina poderão ser necessárias para manter os hamsters limpos se secos.

O hamster toma banho de quanto em quanto tempo?

Os hamsters são animais muito higiénicos, mantendo-se limpos sem banhos. A falta de higiene e mau cheiro têm como origem uma gaiola suja e não um hamster sujo. Os banhos com água não são recomendados pois podem prejudicar a saúde do hamster e levar a variações drásticas da temperatura corporal. Uma alternativa é usar champôs secos para roedores ou colocar um recipiente com areia para chinchilas dentro da gaiola para que possa tomar banhos de areia.

🐹

Dieta e nutrição do hamster doméstico

Na natureza, os hamsters são omnívoros alimentando-se de sementes, frutas, ervas, folhas e insetos. Apesar de muitas lojas recomendarem o uso de rações de muesli (mistura de sementes), esta dieta não é variada e pode causar desequilíbrios nutricionais. No caso de animais já habituados a ração e que não se alimentam de comida fresca, ração em pellet para hamster ou gerbilo pode reduzir as deficiências nutricionais. A nutrição ideal de um hamster incluí:

  • Mistura de pellets e musli: diário;
  • Paus ou galhos de árvores de fruto: diário;
  • Vegetais, legumes e fruta: 3 vezes por semana;
  • Invertebrados: 1 a 2 vezes por semana.

A alimentação do hamster deve passar por 10 a 14 gramas diários de ração comercial, sendo esta uma mistura de pellets e musli. Três vezes por semana deve ser oferecido vegetais, legumes e fruta fresca, como maçã, pera, bagas, brócolo, cenoura, couve, salsa, ou folhas de dente-de-leão. Paus ou pequenos galhos de árvores de fruto devem ser oferecidos para roer. Alimentos vivos à base de invertebrados, como larvas ou grilos, são importantes fontes de proteína e devem ser oferecidos uma a duas vezes por semana.

Proteína16 – 20%
Gorduras4 – 5%
Fibra≥15%
Cálcio0.60%
Fosforo0.35%
Vitamina A1.1 IU/kg

A nutrição tem uma grande influencia na saúde do hamster. A falta de objetos para roer pode levar ao crescimento excessivo dos dentes incisivos. Já dietas ricas em açucares podem causar doenças periodontais, assim como alterações da motilidade intestinal, podendo original intusceções colo-cólicas e diarreia.

Para além do alimento, os hamsters devem ter acesso a água fresca e limpa, o que requer trocas diárias. A água deve ser fornecida em garrafas para evitar ficar suja e molhar o resto da gaiola. A ingestão normal de água é de 8 a 10 ml por 100 g de peso.

O hamster bebe água no potinho?

Sim, os hamsters podem beber água no potinho ou taça. No entanto, é recomendado o uso da garrafa de água por manter a qualidade da água e manter a gaiola mais seca.

🐹

Saúde do hamster doméstico

Os hamsters, tal com os restantes animais, devem ter cuidados veterinários. A primeira parte do exame clínico passa pela observação do hamster na caixa e obtenção da história clínica. A observação permite recolher dados referentes à respiração, marcha e estado geral. A manipulação para exame clínico irá depender do temperamento. Também será necessário obter o peso numa balança de precisão. Os parâmetros normais de um hamster são temperatura corporal de 38ºC, respiração de 100 a 250 rpm, e batimento cardíaco de 276 a 425 bpm. Não existe vacinação básica nos hamsters.

Como os hamsters são presas na natureza, eles não mostram sinais até a doença estar avançada. Isto leva os donos a pensar que a doença é aguda, quando é o agravamento de uma doença crónica. Logo, os cuidados de suporte devem ser intensos. A administração de fluídos por via venosa ou subcutânea permitem corrigir a desidratação e desequilíbrio de eletrólitos. O aquecimento permite prevenir a hipotermia. A alimentação pode ser forçada com uma seringa de insulina. A administração de medicamentos e anestesia poderão ser necessários.

Sinais de dor e doença nos hamsters

Os sinais de dor ou doença no hamster incluem letargia, comportamento agressivo, esconder-se, postura encurvada, pelo mal cuidado, morder ou lamber uma área, e vocalização. No entanto, os animais podem não demonstrar estes sinais mesmo que se encontrem em dor. Se suspeita que o seu hamster está doente, consulte o seu médico veterinário com urgência.

Como pegar num hamster?

O maneio e contenção do hamster depende do temperamento do animal. Alguns hamsters podem ser seguros com mãos em concha, enquanto outros precisam de ser contidos em panos. O uso da prega de pele deve ser evitado uma vez que pode levar a saída do olho (proptose). Nos casos de proptose ocular, é necessária reposição imediata e gentil do olho na orbita.

Doenças comuns em hamsters domésticos

Feridas e irritação:
Agressões entre hamsters ou objetos afiados podem originar feridas nos hamsters. Em alguns casos, estas feridas podem formar massas conhecidas como abcessos. É recomendada a desinfeção das feridas e consulta do médico veterinário em casos mais graves. Já os olhos podem ficar feridos ou irritados durante agressões ou devido à poeira do alimento ou substrato. Neste caso deverá limpar os olhos com soro fisiológico e consultar o seu médico veterinário. Também as bochechas podem ficar irritadas ou obstruídas quando há ingestão de alimentos em mau estado, sendo necessário o auxilio do médico veterinário para as esvaziar.

Diarreia:
A diarreia pode acontecer em qualquer idade do hamster. Em animais adultos a diarreia pode provocada pelo Clostridium difficile dois a cinco dias após administração de certos antibióticos. Já a doença de Tyzzer é provocada pelo Clostridium piliforme, um agente oportunista que induz doença em situações de imunossupressão e stress. Fatores de stress incluem sobrepopulação, humidade elevada, parasitismo, e dieta inadequada. Em animais jovens, a diarreia mais comum é conhecida como cauda molhada. Os hamsters podem sofrer de parasitas intestinais, como protozoários e nemátodos (Syphacia). No entanto, ainda não se conhece bem o papel destes parasitas na doença entérica.

Cauda molhada:
A cauda molhada provocada por ileíte proliferativa ocorre em hamsters das 3 a 10 semanas de idade, especialmente próximo do desmame. Outros fatores que podem contribuir são o mau maneio por sobrepopulação, falta de higiene, ou má nutrição. Origina diarreias abundantes e líquidas, com desidratação e falta de apetite, que deixam a cauda molhada. É uma doença com elevada mortalidade causada pela bactéria intracelular Lawsonia intracellularis. O tratamento passa por hidratação, alimentação forçada e antibióticos. Hamsters que sobrevivam podem ficar com sequelas, como obstrução ou intusceção intestinal ou prolapso retal.

Vírus do linfoma:
O vírus polioma do hamster (HaPV) origina tumores, isto é, linfomas em hamsters jovens e epiteliomas em hamster mais velhos. Quando introduzido numa nova população, a incidência de linfomas pode chegar aos 80%. Estes linfomas aparecem como massas no mesentério (órgão que suporta o intestino) ou nos gânglios linfáticos da axila ou cervicais. Quando está estabilizado na população, pode originar tumores de pele. Animais infetado estão magros, têm massas abdominais, e podem ter pelo com mau aspeto devido ao aparecimento secundário de sarna.

Sarnas e micoses:
Os hamsters podem sofrer de sarnas provocadas pelos ácaros Demodex criceti e Demodex aurati. Estes ácaros podem existir na pele de hamsters saudáveis sem causar doença. É provável que a doença apenas se desenvolva em condições de stress. A sarna aparece como crostas e descamação no dorso, patas traseiras, e focinho. O tratamento passa por champôs e aplicações tópicas de um desparasitante normalmente à base de selamectina. Hamsters que não respondem ao tratamento têm um prognóstico reservado. A dermatofitose (micose) raramente ocorre e pode aparecer espontaneamente.

Neoplasias (tumores):
As neoplasias (tumores) mais comuns dos hamsters são os linfomas, os adenomas e os melanomas. Os linfomas podem afetar os órgãos linfoides (ex. gânglios linfáticos) ou a pele. Normalmente forma massas e originam anorexia, perda de peso e alopecia. Os linfomas da pele causam alopecia irregular e evoluem rapidamente, sendo sugerida a eutanásia às 10 semanas após o diagnóstico. Os adenomas ocorrem na glândula adrenal, mas raramente se confirma a doença de Cushing. Os melanomas ocorrem mais em machos e afetam a pele e os flancos.

Doenças degenerativas relacionadas com a idade:
A trombose atrial pode ocorrer em hamsters idosos devido à formação de trombos devido à insuficiência cardíaca. Estes animais apresentam aumento da frequência respiratória e cardíaca, bem como cianose. Sem tratamento, a trombose atrial pode ser fatal. Outra doença comum em hamsters seniors é a perda de peso causada pela amiloidose hepática e renal, normalmente relacionada com o stress por sobrepopulação. Finalmente, a doença renal degenerativa e fígado poliquístico podem desenvolver-se em animais mais velhos.

O hamster transmite doenças (zoonoses)?

Os hamsters, tal como outros roedores, podem ser portadores do vírus da coriomeningite linfocítica (LMCV) que causa doença neurológica em humano imunocomprometidos ou em fetos durante a gestação. Logo, recomenda-se redução da manipulação e cuidados redobrados de higiene para as gravidas e imunocomprometidos que manipulem hamsters. Os hamsters infetados podem não ter sinais da doença e mesmo assim transmitir o vírus por 8 meses. Quando a doença se desenvolve, os hamsters têm anorexia, perda de peso, letargia, e pelo com mau aspeto, podendo evoluir para convulsões, postura curvada e morte.

Referências: Pellett and Mancinelli 2017; Mulder 2012; MSD Manual

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui