O que é que os passeios dizem sobre a relação com o seu cão?

0

Todos os cães adoram passeio e os cuidadores também (excepto quando chove), mas há muito mais a dizer sobre esta rotina do que pode pensar. De facto, é uma negociação sobre a relação com o melhor amigo do homem.

Passear com o cão é benéfico para a saúde física e mental. Mas o passeio envolve interações detalhadas. O cão é um ser sensível, que pensa, sente e tem personalidade. Por isso, o cuidador tem que estar sempre atento a como o passeio está a ser experienciado.

Os cuidadores também passeiam o cão por tirarem grande prazer em vê-lo a divertir-se. A maior parte dos cuidadores afirma que é durante os passeios que acham que o seu companheiro está mais feliz e pode demonstrar o seu “cão-interior”.

Os cuidadores também adaptam a hora, tempo e localização dos passeios. Muitos donos falam de locais preferidos para os seus cães. Mas os sentimentos do cuidador também influenciam o passeio.

Passear ou ser passeado?

Muitos cães são deixados passear sem trela e esse é um compromisso entre a ansiedade do dono e a necessidade de deixar o cão exprimir-se naturalmente. Logo, a permissão depende de uma aprendizagem do dono sobre o seu companheiro e de um compromisso interno. Já outros donos apenas caminham de trela devido à grande ansiedade resultante da perceção de perigos.

Socializar ou não?

Outros fatores influenciam o passeio. Muitas pessoas interpretam o passeio como um momento social com o seu cão, outros cães e outras pessoas. Enquanto outros cuidadores preferem não socializar e escolhem trajetos mais calmos. Estes trajetos também podem ser escolhidos quando há perceção que o cão pode incomodar outras pessoas ou animais.

Um passeio bem sucedido

Um passeio bem sucedido é aquele que resulta do compromisso entre o cuidador e o cão, mas com alguma influência externa. A principal preocupação de todos os cuidadores é o bem-estar do seu cão e os passeios são uma forma de melhorar a sua qualidade de vida.

Apesar do passeio ser rotineiro, diz muito da relação entre pessoa e cão. E você como passeia o seu cão?

Artigo anteriorCão come fezes: causas e tratamento para a coprofagia canina
Próximo artigoDietas alternativas para gatos e cães
Joana C. Prata, Msc., tem um mestrado em Medicina Veterinária pela Universidade do Porto e é fundadora d’O Meu Animal. Sempre viveu rodeada de animais, tendo agora como companheiros dois gatos (a Rita e o Romeu), três cadelas (a Kami, a Inês e a Pota), uma tartaruga (o Nicholas) e uma colónia com cerca de dez gatos. Neste momento faz investigação na Universidade de Aveiro, como aluna de doutoramento e bolseira em Biologia e Ecologia das Alterações Globais, onde tenta identificar fatores ambientais que possam ter impacto na saúde humana, animal e dos ecossistemas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui