Acne felino: como tratar

O seu gato apresenta pontos negros, crostas e vermelhidão na área do queixo? Pode estar a sofrer de acne felino.

Aprenda como a tratar e prevenir.

O principal objectivo é limpar o queixo para remover sujidade e pontos negros.

 

O que é o acne felino?

O acne no gato é uma doença de pele que afecta o queixo dos gatos. O acne consiste numa infecção superficial da pele e tem a mesma expressão que no acne humano.

Inicialmente observam-se pontos negros (cravos) e sujidade no queixo. Pode evoluir para apresentar espinhas ou para inflamações mais graves e profundas.

Quais as causas do acne felino?

O acne no queixo do gato resulta de um transtorno da queratinização folicular no folículo do pelo. No folículo do pelo acumula-se material queratinoso produzido pelo folículo e lípidos secretados pelas glândulas anexas ao pelo.

Este material lipídico e queratinoso acumula-se originando um comedão, também conhecido por ponto negro ou cravo. O folículo distende-se com este conteúdo. Se ruptura, dispersa-se pela derme (parte profunda da pele) e causa inflamação.

Estará o meu gato em risco de ter acne felino?

O acne de gato pode aparecer em qualquer animal e em qualquer idade. Ao contrario do acne humano, nos gatos não ocorre na adolescência. É mais frequente em gatos adultos, de cor branca ou queixo de cor clara, e animais de raça persa ou raças sem pelo. O acne pode aparecer num episódio singular, ou ciclos ou como doença constante.

Quais são os sinais que posso observar se o meu gato sofre de acne felina?

Inicialmente aparecem pontos negros no queixo e lábio inferior. Ocasionalmente aparecem no lábio superior. Quando não há outros sintomas, é natural que estes não sejam descobertos ou sejam ignorados pelos donos.

Muitas vezes, mantêm-se como pontos negros. Outros progridem para pápulas e pústulas, sendo reconhecidos como borbulhas e espinhas pelos donos.

Quando o folículo rebenta, desenvolve-se uma inflamação profunda. A presença de bactérias pode originar inflamação. A inflamação pode complicar-se com a infecção bacteriana da pele.

É comum encontrar-se as seguintes bactérias em gatos com acne: Pasteurella multocida, Streptococcus beta-hemolitico, Staphylococcus coagulase-positivo. Nestes casos severos observam-se inflamação dos lábios e queixo, encontrando-se engrossados, edematosos e por vezes com furunculose.

Devido à infecção da pele (pioderma), o gato sente prurido e coça o queixo com as patas ou roçando-o em superfícies duras. Também pode-se observar aumento dos gânglios linfáticos da região.

Há inflamação do tecido adjacente e dilatação de glândulas sebáceas. A maioria apresentam queratose foliculas, com dilatação.

Resumidamente, em gatos que sofram de acne felino é comum observar os seguintes sinais na área do queixo:

  • Pontos negros
  • Sujidade no queixo
  • Crostas
  • Alopécia
  • Borbulhas e espinhas
  • Eritema
  • Prurido

O acne felino é contagioso?

Ainda não foi encontrada causa para o acne felino. Logo, não foi identificado um agente contagioso. No entanto, estudos reportam surtos em casas com vários gatos o que sugere um agente infeccioso. É pouco provável que haja contagio ao humano.

Qual é a causa do acne felino?

Ainda não se encontrou a causa específica para o acne felino. Admite-se que o gato pode estar predisposto devido a vários factores:

  • Alteração do ciclo do pelo
  • Maus hábitos de limpeza
  • Stress
  • Predisposição a seborreia
  • Produção anormal de sebo
  • Imunossupressão
  • Infecções virais crónicas concorrentes (ex. FIV, FeLV)
  • Disturbios hormonais
  • Secundário a Malassezia ou Pasteurella
  • Alergia de contacto

Como se faz o diagnóstico do acne felino?

O acne felino apresenta lesões muito características, como a sua localização. Na maioria das vezes o médico veterinário chega ao diagnóstico final apenas pela observação das lesões.

No entanto deverá sempre consultar o seu médico veterinário. Existem outras patologias que devem ser excluidas e podem parecer semelhantes ao acne felino para o dono. Por exemplo, deve exluir-se demodicose, dermatofitose e Malassezia.

Por outro lado, se for possível identificar a causa do acne felino deve-se fazer um tratamento direccionado. Tratamento direccionado à causa terá maior taxa de sucesso.

Para atingir estes objectivos o médico veterinário pode requisitar exames complementares. Poderá por exemplo realizar raspagens de pele, citologias, biópsias.

O que fazer se o meu gato tem acne felino?

Se suspeita de acne felino, deve consultar o seu médico veterinário confirmar o diagnóstico. Existem múltiplos remédios caseiros para o acne felino. Nestes incluem-se:

  • Limpeza do queixo com sabão ou álcool
  • Secagem do queixo
  • Aplicação de compressas quentes para abrir os poros e proceder à lavagem
  • Aplicação de saquinhos de chá de camomila para aliviar a dor

Estes procedimentos não são incorrectos nem magoam o animal. No entanto é sempre importante excluir outras patologias mais graves, pelo que deve consultar sempre o seu veterinário.

Como tratar a acne felina?

O objectivo do tratamento da acne felina é remover a sujidade do folículo e o excesso de sebo. O protocolo varia caso a caso e depende da severidade das lesões.

O gato apresenta uma forma leve quando apresenta apenas pontos negros assintomáticos. Se não incomodar o dono, esta formas podem não ser tratadas e resolver-se espontaneamente. Podem ser tratadas com uma limpeza tópica suave.

A terapia tópica com objectivo de remover o ponto negro é sempre benéfica. Poderá aplicar várias vezes à semana álcool a 96%, anti-sépticos (ex. clorexidina, betadina, água oxigenada), sabão antibiótico. O champô anti-seborreico poderá ser utilizado diariamente ou duas vezes à semana.

O queixo é um local complicado para o gato limpar e com a idade pode piorar. Assim pode assistir o gato limpando esta zona como o descrito anteriormente. No final seque bem para evitar crescimento bacteriano.

Antes da aplicação de fármacos ou da limpeza pode-se fazer compressas quentes na área. Estas ajudam a abrir, amolecer e drenar os pontos negros. Mergulhe uma compressa, algodão ou pano em água quente e coloque no queixo do gato por 2 a 4 minutos. Certifique-se que a compressa não está demasiado quente visto que poderá queimar o gato. De seguida aplique a medicação ou faça a limpeza.

Por precaução, substitua as tigelas da ração e água. O gato pode ter alergia de contacto ao material das taças, o que origina manifestações no queixo e lábios. Por outro lado, tigelas de plástico acumulam gorduras e bactérias que podem infectar a pele. Utilize loiça de cerâmica, vidro ou inox e lave-as com frequência.

Se o gato apresenta pápulas, furúnculos ou inflamação profunda deve-se fazer o tratamento. Nestes casos será necessário fazer aplicações tópicas de pomadas antibióticas ou administrações de antibióticos sistémicos (ex. comprimido, injecção).

Para além das recomendações anteriores, em casos mais severos aplicam-se os seguintes tratamentos:

  • Tricotomia: cortar o pelo da região do queixo permite facilitar a limpeza e o tratamento, obtendo-se melhores resultados.
  • Aplicações tópicas: lavagens com clorexidina ou fitoesfingosina, aplicação de vitamina A tópica, aplicação de emplastros quentes de solução de sulfato de magnésio por 5 a 10 minutos.
  • Antibióticos tópicos: são utilizados com frequência a clindamincina, tetraciclina, eritromicina e metronidazol.
  • Peróxido de benzoílo: utilizado em casos intensos como queratolítico. Aplica-se topicamente para amaciar crostas e caspa, destruir bactérias e limpar o folículo. Pode aplicar-s em champô ou gel, uma vez ao dia até resolução. Pode ser muito irritativo para a pele de alguns gatos.
  • Ácidos gordos: podem beneficiar gatos com acne recorrente ao reduzirem a inflamação e normalizar a queratinização.
  • Antibióticos sistémicos: quando existem lesões profundas ou não há resposta ao tratamento deve-se administrar antibióticos por via oral ou injectaveis durante 14 a 21 dias. Exemplos são  amoxiciclina ácido-clavulânico, fluoroquinolonas e cefalosporinas.
  • Mupiricina: tem acção antimicrobiana. Aplica-se directamente na pele e pode dispensar a utilização de anitbiótico sistémico. Aplica-se uma a duas vezes ou dia ou alternando com peróxido de benzoílo. Não deve ser utilizado em animais com lesões profundas.
  • Isotreína: os retinoide são utilizados em casos resistentes, refractários ou quando o gato não permite tratamento tópico. Pode ser utilizado em forma tópica ou oral diariamente. Deve apresentar melhorias no primeiro mês. Se ainda apresenta lesões o tratamento pode ser prolongado e reduzir a sua aplicação a 2 a 3 vezes por semana.

Tratamentos sistémicos para além de antibiótico e ácidos gordos são raramente recomendados. Em inflamações severas e para evitara formação de cicatriz pode administrar-se prednisolona.

Quando se começam a ver melhorias, como a eliminação de pápulas ou comedões, a tratamento pode ser descontinuado. Para tal, deve-se reduzir a sua aplicação ao longo de várias semana. Pode-se instituir protocolos de manutenção para evitar recorrencia do acne felino.

Como posso prevenir o acne felino?

  • Limpe o queixo após refeições
  • Mantenha a área seca
  • Limpe a área com álcool regularmente
  • Lave com frequência as tigelas de ração e água

Referência:
Muller & Kirk’s Small Animal Dermatology

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *