Como ensinar o gato a parar de morder?

10

Comportamentos agressivos em gatos são desagradáveis e levam à degradação da relação com o dono.

Como educar gatos que mordem? Vamos explicar os vários tipos de agressão que podem levar à mordida de gato e como reduzi-los.

 

Porque é que os gatos mordem os seus donos?

As agressões dos gatos podem levar a uma má relação com os donos. Em casos graves, o gato ataca a cara, a mordida ou arranhões são profundos e o dono não o consegue impedir de expressar estes comportamentos.

Se foi atacado pelo seu gato não se esqueça de lavar a ferida com água e sabão e de seguida desinfectá-la.

Os problemas de agressividade têm quatro origens, no entanto deverá sempre descartar-se a possibilidade do gato estar a sofrer de uma patologia com dor. Identificar qual das quatro agressões sofre é essencial para o plano de tratamento:

  • Agressão por medo
  • Agressão por brincadeira (predatória)
  • Agressão durante as caricias
  • Agressão redireccionada

Sinais de gato agressivo

Saber identificar quando o gato é agressivo poderá ajudar a evitar ser atacado. Assim, o gato é agressivo quando demonstra:

  • Olhar fixo;
  • Pupilas dilatadas;
  • Orelhas para trás;
  • Pelo do dorso levantado;
  • Bufar ou rosnar.

Como lidar com gatos que mordem?

Educar o gato mordedor poderá ser um desafio. A primeira etapa é definir qual das agressões sofre para fazer um plano para a sua solução:

  • Agressão por medo: evite expor a estímulos ou treine o gato a tolerá-los.
  • Agressão por brincadeira: estimule a brincar com brinquedos e quando atacado termine o jogo e afaste-se do gato.
  • Agressão durante o carinho: esteja atento aos sinais e pare antes das mordidas, treine a tolerar melhor as carícias.
  • Agressão redireccionada: evite expor a estímulos.

Outro factor importante é o ambiente estimulante que permita o gato libertar as energias e aplicar o seu espirito de caçador durante as brincadeiras. Quando e pequeno devera ser socializado para aprender a lidar com humanos e animais. Uma boa educação poderá evitar estes problemas e permitirá que o seu gato cresça saudável.

Agressão por medo

Ocorre em gatos tímidos, que foram pouco habituados a estranhos (socialização inadequada), ou traumatizados.

O gato assustado tentará fugir, mas quando encurralados mostram uma postura defensiva e poderão atacar. Os sinais do gato com medo são:

  • Encolhido;
  • Pupilas dilatadas;
  • Pelo do dorso arrepiado;
  • Bufar ou rosnar.

Gatos com medo poderão tentar atacar com a pata da frente antes de morder. No caso de gatos traumatizados, poderão atacar sem aviso prévio.

Assim, os gatos não deverão ser expostos a situações que lhes provoquem medo. O que fazer quando o gato está assustado? Se permitir a sua fuga para um local seguro (ex. um quarto quando tem visitas, uma caminha fechada) não atacará.

Por outro lado, poderão ser treinados a lidar com a situação que lhes provoca medo. Assim, poderá colocar-se o gato numa jaula para que assista à situação e comece a tolerá-la. Poderá também usar ferormonas felinas que reduzam a ansiedade.

Agressão por brincadeira (predatória)

O gato arranha e morde desinibidamente o dono enquanto brinca ou faz emboscadas e ataca os tornozelos. Neste caso deverá dirigir-se a atenção para os brinquedos, fazer sessões de brincar e parar a sessão se o gato morder a pessoa.

Porque é que os gatos mordem seus donos enquanto brincam?

Quando estão na ninhada, os gatinhos aprendem a controlar a força da mordida e a retrair as garras durante a brincadeira. Se magoarem os irmãos ou a mãe, estes vão miar em queixa e retaliar. E assim lentamente o gatinho aprende a controlar a sua força. Se o gatinho foi retirado muito cedo da ninhada não vai aprender como brincar sem magoar. Cabe ao dono ensinar o gatinho.

Após ser atacado não deverá:

  • Gritar ou sacudir com o gato que arranhar ou morde porque cria mais stress;
  • Mimar o gato para o acalmar porque ensina o gato que atacar é bom.

 

Assim, quando em gatos que mordem muito ou arranham durante a brincadeira deverá evitar-se jogos que conduzam a esses comportamentos.

A atenção do gato deverá estar focada nos brinquedos, podendo libertar a sua energia neles e não no dono.

Quando o gato estiver a ficar muito excitado reduza a intensidade do jogo ou pare uns momentos e recomece novamente. Desta forma evita que o gato se entusiasme e perca o controlo.

Se o gato se tornar agressivo, termine abruptamente a brincadeira nesse momento e saia do seu lado. Com o tempo, os gatos associam parar de brincar a magoar o dono, e como querem continuar a brincar evitarão magoar.

Alternativamente, poderá adoptar um gato como companheiro de brincadeiras que o ensine a moderar as mordidas e arranhadelas.

Castigos

Os castigos nunca passam por bater no gato. Os castigos deverão ser situações desagradáveis para o gato, como jactos de água (pistola de água ou borrifador), buzinas ou outro som desagradável ou colocar o gato sozinho numa divisão. No entanto deverão ser utilizados com precaução porque poderão trazer consequências: o jacto de água poderá causar fobia à água, o gato frustrado poderá tornar-se mais agressivo, ou começar a ter medo do dono.

Agressão durante as caricias

O gato está no colo a apreciar os mimos que lhe fazemos quando de repente morde e sai do colo chateado. Mas porque é que os gatos mordem quando fazemos carinho?  

Pode ser a forma de terminar a interacção, de dizer “já chega!”, ou talvez os gatos tenham um limite após o qual as caricias tornam-se irritantes.

Deverá estar atento à linguagem corporal do gato que lhe indique que é hora de parar as carícias:

  • Tremelicar da cauda;
  • Girar das orelhas;
  • Inquietação;
  • Mordiscar.

Assim, se observar estes sinais deverá parar a sessão antes de ser mordido. Quanto melhor conhecer o seu gato, melhor será a previsão de quando parar.

Outra alternativa é dar ao gato guloseimas durante a sessão de festas para o treinar a ser mais tolerante.

Agressão redireccionada

Ocorre quando o gato não consegue responder a um estímulo e por isso “descarrega” noutro indivíduo, frequentemente o dono.

Isto pode acontecer quando o gato vê outro gato no exterior que não pode atacar, ou quando se assusta com visitas e acaba por arranhar o dono que o tenta levar para um quarto.

Nestes casos o melhor evitar expor o gato aos estímulos (ex. evitar acesso às janelas onde vê os gatos, fechá-lo no quarto antes das visitas chegarem) até porque a agressão é severa.

10 COMENTÁRIOS

    • Olá Ana,
      Provavelmente a gata estará a brincar. Pode tentar redireccionar esse comportamento para brinquedos. Não deixe que lhe ataque o pulso e em alternativa dê-lhe um brinquedo. Por exemplo, um brinquedo “cana de pesca” poderá ser facilmente usado nessas situações.
      Abraços,
      Joana Prata

  1. Boa noite . Tenho um macho de 2 anos que andou sempre em casa de baixo de olho se ia para o quintal nunca o deixei ir muito longe nunca teve gata . E de ah uns dias para casa ele anda agressivo atacou. Só pk não o deixei ir ao quintal se castar resolve o problema obrigado aqui em casa estamos todos a ficar com medo do gato

    • Olá Alexandra,
      Castrar pode reduzir o comportamento de fugir para seguir as gatas em cio e reduzir o comportamento territorial. Aconselha-se que a castração seja cedo para que não ganhe os hábitos relacionados com o comportamento territorial.
      Abraços,
      Joana Prata

  2. Ficamos com o gatinho de 2 meses que minha sobrinha deu, uma graça estamos apaixonados, mas sinceramente hoje nao aceitaria pois apesar de ser uma graça, ele nasceu para ser livre , as vezes e muito docil e dengozo mas hj com 3 meses chega a assustar , tem uns ataques de furia as vezes acho que por querer brincar mas acho q a da natureza dele mesmo, Endurece as orelhas dilata a pupila , e morde com força e tenta arrancar um pedaço … tem os horarios certos p fazer isto as 8h as 16h a perto da meia noite.,Se não fosse pela minha filha adolescente iria mandar ele para uma fazenda de onde saiu ..fora que vc tem q tirar toso os enfeites da casa , cercar janelas e o gasto financeiro tb., mas o cjeiro de coco e urina. Conselho não adotem

    • Olá Monica,
      Não pode estar à espera que um animal vivo se comporte como uma decoração. Ao adoptarmos um animal, tal como ao termos um filho, temos que fazer cedências. Os animais requerem cuidado, investimento e tolerância, especialmente quando são pequenos pois ainda estão a aprender as regras. Sugerimos que dê uma chance ao gatinho e vai ver que rapidamente se tornará uma companhia preciosa e imprescindível.
      Abraços,
      Joana Prata

  3. Olá! Adotei uma gata que completou 40 dias agora. Ela é linda e eu e meu esposo a amamos logo de primeira,as estamos muito frustrados. Ela nos morde de forma agressiva o tempo todo. Qdo vamos comer ela pula na gente e machuca. Ate café sente vontade. Ela tem muitos brinquedos, Torres, varas com penas, mas somos esmigalhados com dentadas e arranhões. Não deixa a gente dormir, arranha o rosto qdo estamos no sofá. Tentamos todas as técnicas de sair de perto pra mostrar que não agradou, borrifador de água, chio, não em tom firme. Nada resolveu. O que podemos fazer? Estamos muito tristes com essa situação. Obrigada!

    • Olá Luciana, quando a gatinha quer brincar tentem redirigi-la para os brinquedos. Por exemplo, quando morde durante a hora do jantar, peguem na vara com penas e distraiam-na assim. A aprendizagem é algo que leva muito tempo, é preciso ter paciência. Normalmente com o envelhecimento tornam-se um pouco mais calmos, por isso há esperanças. Em relação às noites mal dormidas, aconselho a lerem o nosso guia de como fazer o gato dormir à noite.
      Abraços,
      Joana Prata

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui