Proptose / Prolapso do globo ocular em cães e gatos (exoftalmia)

0

O que é o prolapso do globo ocular em cães e gatos?

O prolapso do globo ocular em cães e gatos, também conhecido por proptose ou exoftalmia, é a sua deslocação anterior súbita com saída da órbita. As pálpebras normalmente ficar encarceradas atrás da linha média do globo ocular. O prolapso de olho é mais comum em cães e normalmente ocorre devido a trauma. Outras causas de prolapso incluem abcessos, problemas dentários, corpos estranhos e neoplasias.

O prolapso do olho, que envolve a exteriorização de todo o olho, não deve ser confundido com o prolapso da terceira pálpebra. No entanto, o prolapso da terceira pálpebra poderá estar presente na exoftalmia.

A proptose em cães ocorre com maior frequência em certas raças devido à conformação facial com uma órbita pouco profunda e pálpebras curtas. Entre estas raças estão os cães braquicefálicos (cães de focinho curto). Os braquicefálicos constituem cerca de 50% dos casos de prolapso de olho em cães, normalmente após traumas ligeiros.

Em cães dolicocefálicos (de focinho comprido), o prolapso ocorre após trauma. A proptose em gatos está associada a traumas, fraturas e hemorragias orbitárias, entre outras lesões envolvendo o olho, músculos e nervos da região. Em cães e gatos, os machos são mais predispostos devido ao seu comportamento territorial que predispõe a traumas.

Tratamento do prolapso do globo ocular em cães e gatos

As proptoses do globo ocular em cães e gatos são emergências. Durante a proptose, ocorre estagnação da drenagem venosa do sangue, glaucoma e necrose da retina, entre outras lesões. Por isso, a sobrevivência do globo ocular e a recuperação da visão estão dependentes no tratamento rápido do prolapso do olho.

Em caso de prolapso de olho em cães, deverá levar o seu animal urgentemente à clínica veterinária. Durante a viagem para a clínica, deverá manter o olho limpo e húmido passando soro fisiológico e cobrindo-o com uma toalha ou gaze húmida.

Quando o animal chegar à clínica veterinária, será avaliado. O diagnóstico faz-se pela observação e palpação dos tecidos à volta do olho. Ainda poderá ser necessário radiografias para avaliar a extensão das lesões por trauma, exame oftalmológico para avaliar a integridade das estruturas do olho (por vezes não é possível realizar) e análises ao sangue. Após o diagnóstico, o médico veterinário irá discutir as opções de tratamento.

O tratamento da exoftalmia em cães e gatos é por reposicionamento cirúrgico do globo ocular na órbita. O olho deverá ser recolocado na órbita rapidamente se o animal se encontra estável, de forma a preservar a sua função. O reposicionamento pode implicar um corte nas pálpebras para permitir a recolocação do olho na órbita. As pálpebras poderão ser suturadas no canto de forma a prenderem o olho na órbita durante a recuperação (tarsorrafia).

O tratamento ainda incluí antibióticos para prevenir infeção, entre outros medicamentos. Antibióticos tópicos, como colírios de cloranfenicol, devem ser usados no olho, em conjunto com antibiótico e anti-inflamatórios por via sistémica (comprimido ou injetável). Ainda poderá ser administrada colírios de atropina para reduzir a pressão intraocular e dor.

Em alguns casos de prolapso ocular em cães e gatos não é possível fazer o reposicionamento do globo. Estes incluem casos com destruição dos tecidos do olho ou auxiliares, necrose, infeção grave ou outras complicações irreversíveis. Nestes casos deverá ser realizada a enucleação (remoção do globo ocular). Em alguns casos, opta-se por manter o olho apenas por motivos estéticos se a patologia não comprometer a saúde do animal.

Prognóstico do prolapso do globo ocular em cães e gatos

O prognóstico é dependente na severidade da lesão, conformação, condição do olho e tratamento rápido. Apesar do prognóstico ser reservado, o olho é geralmente salvo e a visão apenas recuperada em metade dos cães. Em geral, cães braquicefálicos têm melhor prognóstico. Algumas sequelas do prolapso do olho após tratamento incluem estrabismo, perda de visão, ceratoconjuntivite seca e glaucoma, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui