Como ensinar o gato a parar de morder?

Comportamentos agressivos em gatos são desagradáveis e levam à degradação da relação com o dono.

Como educar gatos que mordem? Vamos explicar os vários tipos de agressão que podem levar à mordida de gato e como reduzi-los.

 

Porque é que os gatos mordem os seus donos?

As agressões dos gatos podem levar a uma má relação com os donos. Em casos graves, o gato ataca a cara, a mordida ou arranhões são profundos e o dono não o consegue impedir de expressar estes comportamentos.

Se foi atacado pelo seu gato não se esqueça de lavar a ferida com água e sabão e de seguida desinfectá-la.

Os problemas de agressividade têm quatro origens, no entanto deverá sempre descartar-se a possibilidade do gato estar a sofrer de uma patologia com dor. Identificar qual das quatro agressões sofre é essencial para o plano de tratamento:

  • Agressão por medo
  • Agressão por brincadeira (predatória)
  • Agressão durante as caricias
  • Agressão redireccionada

Sinais de gato agressivo

Saber identificar quando o gato é agressivo poderá ajudar a evitar ser atacado. Assim, o gato é agressivo quando demonstra:

  • Olhar fixo;
  • Pupilas dilatadas;
  • Orelhas para trás;
  • Pelo do dorso levantado;
  • Bufar ou rosnar.

Como lidar com gatos que mordem?

Educar o gato mordedor poderá ser um desafio. A primeira etapa é definir qual das agressões sofre para fazer um plano para a sua solução:

  • Agressão por medo: evite expor a estímulos ou treine o gato a tolerá-los.
  • Agressão por brincadeira: estimule a brincar com brinquedos e quando atacado termine o jogo e afaste-se do gato.
  • Agressão durante o carinho: esteja atento aos sinais e pare antes das mordidas, treine a tolerar melhor as carícias.
  • Agressão redireccionada: evite expor a estímulos.

Outro factor importante é o ambiente estimulante que permita o gato libertar as energias e aplicar o seu espirito de caçador durante as brincadeiras. Quando e pequeno devera ser socializado para aprender a lidar com humanos e animais. Uma boa educação poderá evitar estes problemas e permitirá que o seu gato cresça saudável.

Agressão por medo

Ocorre em gatos tímidos, que foram pouco habituados a estranhos (socialização inadequada), ou traumatizados.

O gato assustado tentará fugir, mas quando encurralados mostram uma postura defensiva e poderão atacar. Os sinais do gato com medo são:

  • Encolhido;
  • Pupilas dilatadas;
  • Pelo do dorso arrepiado;
  • Bufar ou rosnar.

Gatos com medo poderão tentar atacar com a pata da frente antes de morder. No caso de gatos traumatizados, poderão atacar sem aviso prévio.

Assim, os gatos não deverão ser expostos a situações que lhes provoquem medo. O que fazer quando o gato está assustado? Se permitir a sua fuga para um local seguro (ex. um quarto quando tem visitas, uma caminha fechada) não atacará.

Por outro lado, poderão ser treinados a lidar com a situação que lhes provoca medo. Assim, poderá colocar-se o gato numa jaula para que assista à situação e comece a tolerá-la. Poderá também usar ferormonas felinas que reduzam a ansiedade.

Agressão por brincadeira (predatória)

O gato arranha e morde desinibidamente o dono enquanto brinca ou faz emboscadas e ataca os tornozelos. Neste caso deverá dirigir-se a atenção para os brinquedos, fazer sessões de brincar e parar a sessão se o gato morder a pessoa.

Porque é que os gatos mordem seus donos enquanto brincam?

Quando estão na ninhada, os gatinhos aprendem a controlar a força da mordida e a retrair as garras durante a brincadeira. Se magoarem os irmãos ou a mãe, estes vão miar em queixa e retaliar. E assim lentamente o gatinho aprende a controlar a sua força. Se o gatinho foi retirado muito cedo da ninhada não vai aprender como brincar sem magoar. Cabe ao dono ensinar o gatinho.

Após ser atacado não deverá:

  • Gritar ou sacudir com o gato que arranhar ou morde porque cria mais stress;
  • Mimar o gato para o acalmar porque ensina o gato que atacar é bom.

 

Assim, quando em gatos que mordem muito ou arranham durante a brincadeira deverá evitar-se jogos que conduzam a esses comportamentos.

A atenção do gato deverá estar focada nos brinquedos, podendo libertar a sua energia neles e não no dono.

Quando o gato estiver a ficar muito excitado reduza a intensidade do jogo ou pare uns momentos e recomece novamente. Desta forma evita que o gato se entusiasme e perca o controlo.

Se o gato se tornar agressivo, termine abruptamente a brincadeira nesse momento e saia do seu lado. Com o tempo, os gatos associam parar de brincar a magoar o dono, e como querem continuar a brincar evitarão magoar.

Alternativamente, poderá adoptar um gato como companheiro de brincadeiras que o ensine a moderar as mordidas e arranhadelas.

Castigos

Os castigos nunca passam por bater no gato. Os castigos deverão ser situações desagradáveis para o gato, como jactos de água (pistola de água ou borrifador), buzinas ou outro som desagradável ou colocar o gato sozinho numa divisão. No entanto deverão ser utilizados com precaução porque poderão trazer consequências: o jacto de água poderá causar fobia à água, o gato frustrado poderá tornar-se mais agressivo, ou começar a ter medo do dono.

Agressão durante as caricias

O gato está no colo a apreciar os mimos que lhe fazemos quando de repente morde e sai do colo chateado. Mas porque é que os gatos mordem quando fazemos carinho?  

Pode ser a forma de terminar a interacção, de dizer “já chega!”, ou talvez os gatos tenham um limite após o qual as caricias tornam-se irritantes.

Deverá estar atento à linguagem corporal do gato que lhe indique que é hora de parar as carícias:

  • Tremelicar da cauda;
  • Girar das orelhas;
  • Inquietação;
  • Mordiscar.

Assim, se observar estes sinais deverá parar a sessão antes de ser mordido. Quanto melhor conhecer o seu gato, melhor será a previsão de quando parar.

Outra alternativa é dar ao gato guloseimas durante a sessão de festas para o treinar a ser mais tolerante.

Agressão redireccionada

Ocorre quando o gato não consegue responder a um estímulo e por isso “descarrega” noutro indivíduo, frequentemente o dono.

Isto pode acontecer quando o gato vê outro gato no exterior que não pode atacar, ou quando se assusta com visitas e acaba por arranhar o dono que o tenta levar para um quarto.

Nestes casos o melhor evitar expor o gato aos estímulos (ex. evitar acesso às janelas onde vê os gatos, fechá-lo no quarto antes das visitas chegarem) até porque a agressão é severa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *