Colapso de traqueia em cães

15

No colapso de traqueia em cães a traqueia cede durante a respiração e colapsa, havendo estreitamento do lúmen e impedindo a passagem do ar.

A irritação origina tosse sonante, crónica e intermitente. Afecta principalmente animais pequenos de meia idade a idosos.

O que é a traqueia?

A traqueia é um tubo que transporta o ar do nariz aos brônquios, seguindo o ar para os pulmões, ou seja, é uma via respiratória. É composta por vários anéis cartilagíneos que permitem que mantenha o lúmen aberto e haja passagem de ar ser restrições.

O que é o Colapso de Traqueia em Cães?

O colapso da traqueia consiste na redução do diâmetro do lúmen da traqueia durante a respiração, ou seja, há um estreitamento da traqueia em cães. É um processo dinâmico, onde o lúmen se altera com os movimentos da respiração. Este poderá envolver as várias porções da traqueia: a traqueia cervical, ou seja a porção que se encontra no pescoço, e a traqueia intratorácica, a que se encontra no interior do tórax. Em certos casos há envolvimento de ambas as secções e poderá até afectar os brônquios principais.

Porque ocorre o Colapso de Traqueia em Cães?

O colapso da traqueia ocorre por achatamento dos anéis cartilagíneos da traqueia ou redundância (falta de tensão) da membrana traqueal dorsal, ou combinação dos dois. A verdadeira origem destes processos é desconhecida. Pensa-se que poderá ocorrer devido a uma lesão prévia na traqueia ou a deficiências na cartilagem. Poderá ocorrer degeneração por amolecimento progressivo dos anéis da traqueia e aumento da membrana dorsal que se torna pendente, dando origem a esta patologia.

O meu animal encontra-se em risco?

O colapso da traqueia ocorre principalmente me cães de meia idade ou idosos pertencentes a raças pequenas, como toy ou miniatura. No entanto, animais muito afectados poderão apresentar sinais desde jovens. Ocasionalmente poderá afectar cães grandes jovens. Raças que frequentemente são afectadas por esta patologia são o caniche miniatura, yorkshire terrier, chihuahua, lulu da pomerânia, entre outros. Em gatos é rara, podendo ocorrer secundariamente a obstruções ou tumores.

Os principais factores de risco desta patologia são:

  • Obesidade;
  • Infecções e inflamação dos pulmões;
  • Bloqueio ou obstrução das vias aéreas.

Sintoma do Colapso de Traqueia em cães

O principal sintoma observado pelo dono é a presença de uma tosse crónica e intermitente, não produtiva e de som elevado, por vezes chamada tosse de ganso. Normalmente é agravada pelo calor, exercício, excitação ou pela pressão da coleira no pescoço.

Quando o dono pega no animal exerce pressão na entrada do tórax, podendo originar colapso da traqueia já propensa e originar uma crise de tosse. Em qualquer das situações, quando o ar passa na traqueia fragilizada origina o seu colapso, o que por sua vez causa tosse e ruídos.

Se o seu cão apresentar os seguintes sinais é suspeito de ter colapso da traqueia e deverá ser avaliado por um médico veterinário:

  • Tosse seca e sonante, não produtiva, crónica e intermintente
  • Esgar ou sons de assobio durante a respiração
  • Aumento da sensibilidade da traqueia
  • Dificuldades respiratórias
  • Respiração rápida
  • Intolerancia ao exercício
  • Cor azul da pele e mucosas
  • Desmaios
  • Progressão lenta

Diagnóstico do Colapso de Traqueia em Cães

Através da avaliação do exame físico e da história clínica, o médico veterinário suspeitará de colapso de traqueia. Como teste, poderá palpar a traqueia induzindo tosse e auscultar ouvindo sons característicos do colapso. Para observar o colapso, serão realizadas radiografias em várias fases da respiração. Outros exames incluem a fluoroscopia, broncoscopia, ECG e lavagens traqueais.

Com a informação recolhida, o médico veterinário poderá classificar o colapso de traqueia segundo o grau de redução do lúmen:

  • Grau 1: 50% de redução do lúmen;
  • Grau 2: 75% de redução do lúmen;
  • Grau 3: membrana dorsal colapsa e toca no lado oposto;
  • Grau 4: colapso completo.

Tratamento do Colapso de Traqueia em Cães

O tratamento principal é feito através do controlo dos sintomas e pela redução do peso.

Redução da actividade física

Inicialmente deverá fazer-se uma redução da actividade física, uma vez que poderá causar colapso devido à respiração intensa. No entanto, para que haja redução de peso, é essencial que ocorra exercício. Por isso deve-se optar por uma rotina de exercício leve para reduzir o risco de induzir colapso da traqueia.

Perda de peso

A perda de peso é responsável por grandes melhoras na maioria dos doentes. Logo deve-se implementar uma dieta que permita a redução de peso. A dieta deverá passar a ser rica em fibra, uma vez que vai saciar o animal levando-o a ingerir menos calorias. Por outro lado, a quantidade calórica ingerida por dia deverá ser reduzida a 60%.

Controlo dos sintomas por tratamento médico

Para além de controlar factores que possam despoletar uma crise, como exercício, ambientes quentes, excitação e utilização de coleiras que comprimem a traqueia, poderá ser instituído um tratamento médico. Poderão ser utilizados antitussicos (butorfanol) e anti-inflamatórios corticosteroides (prednisolona) de forma a minorar a irritação da traqueia. Sedativos e tranquilizantes poderão ajudar na redução da actividade. Broncodilatadores, como a teofilina, poderão facilitar a passagem do ar na vias respiratórias inferiores e ajudar a combater o stress respiratório.

Tratamento cirúrgico

Consiste na colocação de próteses de anéis traqueais. No entanto apenas poderá ser utilizado em casos de colapso da traqueia cervical ou da parte inicial da traqueia intratorácica. As complicações pós-cirurgicas deverão ser pesadas, uma vez que poderão induzir problemas, como a inflamação da mucosa da traqueia.

Monitorização do tratamento do Colapso de Traqueia

A monitorização desta patologia baseia-se no seguimento médico dos seguintes parâmetros:

  • Eficácia da perda de peso e desta na redução de episódios
  • Tolerância ao exercício
  • Avaliação do padrão respiratório
  • Contabilização de casos de incidência de tosse

Prevenção do Colapso de Traqueia em Cães

Se tem um animal pertencente ao grupo de risco, ou seja, de raça pequena, toy ou miniatura e de meia idade ou idoso deverá aplicar medidas preventivas na tentativa de que esta patologia não se revele. Para tal, deverá:

  • Evite a obesidade: forneça uma dieta equilibrada ao seu animal e siga as recomendações do fabricante relativas à dose recomendada para o seu animal.
  • Evite situações de stress respiratório: calor, humidade, excesso de exercício físico e excitação poderão despoletar uma primeira crise.
  • Utilize peitoral em vez da coleira: a coleira coloca toda a pressão sobre o pescoço podendo originar lesões inclusivé da traqueia; o peitoral é melhor opção uma vez que distribui a força em vários pontos e se encontra sobre a caixa torácica que é mais resistente.

Prognóstico do Colapso de Traqueia em Cães

O prognóstico final depende do grau de obstrução da via respiratória e só o seu médico veterinário poderá dá-lo. No entanto, espera-se que a combinação do tratamento médico e redução de peso leve à redução dos sinais. O seu cão terá tosse para a vida, poderá é ter com menor frequência.

15 COMENTÁRIOS

    • Olá Eva,

      É uma patologia difícil. O importante é saber que faz o possível para manter o Lulu bem 🙂

      Abraços,
      Joana Prata

  1. Interessante, encontrei a resposta que buscava, minha Mel está acima do peso, obesa, a veterinária já tinha alertado para este problema, não levei tão asserio, olha o resultado. Vou seguir a risca tudo isto. Parabéns a matéria, com linguagem simples e clara. Obrigada

    • Olá Silva,
      Obrigado 🙂
      A obesidade é mesmo um problema grave nos nossos animais de companhia trazendo inúmeros problemas. O melhor é mesmo estar com uma condição corporal moderada.
      Abraços,
      Joana Prata

  2. Meu cão morreu muito rápido, estava sendo acompanhado pela veterinária que sempre medicava o mesmo antibiótico. Fiquei tranquila mas não resolvia e no final dezembro faleceu. Penso que poderia ter levado em outro médico tentado outro tratamento

    • Olá Raquel,

      Mudar de médico ou de tratamento podia ter ajudado, como podia não ter tido resultado. No entanto, acho que deve ficar descansada porque tentou fazer tudo para ajudar o cachorro. Infelizmente nem sempre todas as ajudas bastam.

      Abraços,
      Joana Prata

  3. meu cachorro (maltês) tem estreitamento da traqueia e está tossindo muito. Além de perder peso, gostaria de saber se existe algum remédio caseiro que possa aliviar um pouco a tosse. Pois medicamentos só resolvem durante o tratamento. Ele já tem 12 anos, acho complicado cirurgia. Podem me ajudar?

    • Olá Sérgio,

      Não podemos recomendar remédios caseiros, mas podemos recomendar mudanças no estilo de vida que reduzam os episódios de tosse. Por exemplo, o cão não deverá usar coleira pois pressiona a traqueia e deverá reduzir o exercício que pode induzir o colapso.

      Abraços,
      Joana Prata

  4. Meu cão tem 12 anos . Nesses últimos meses não para mais um minuto de tossir e se engasgar , já está faltando a respiração e ele olha pedindo ajuda …
    Sei que não pode indicareceber nenhum remedio, mas não tem alguma dica para socorre-lo nesse momento ?
    Ou algum calmante natural para ele poder ficar menos agitado ?

    • Olá Andrea,
      Um animal com colapso da traqueia deve ser seguido por um médico veterinário. O prognóstico depende do grau do colapso da traqueia. Todos os medicamentos deverão ser receitados pelo médico veterinário que segue o caso e que pode fazer os exames necessários ao diagnóstico. As melhoras.
      Abraços,
      Joana Prata

  5. Estamos sofrendo muito com nossa Chowchow de 8 anos, o colapso de traquéia edta evoluindo muito rapido e vem nos deixando aterrorizados.
    Primeiro veio a tosse seca, parecia engasgo…a veterinária pediu raiox e diagnosticou o problema. Receitou corticóide e ela teve uma certa melhora, mas durante o tratamento de dez dias, qdo começou a reduzir a dosagem, ela voltou a ter tosse.
    Agora esta na fase de crises de falta de ar, um barrulho assustador, movimentos intensos no pulmão que é triste de ver, quer ficar em lugares frios, parece wue esta sufocando, na vdd esta. A veterinária receitou Condrimax e disse que não há o que fazer. Estamos arrasados com o prognóstico! Parece uma crise de asma intensa. E sofremos muito com ela.

    • Olá Nadia,
      É preciso respirar fundo e seguir o protocolo de tratamento receitado pelo médico veterinário, bem como usar as medidas preventivas que recomendamos no nosso artigo. Vai ficar tudo bem.
      Abraços,
      Joana Prata

  6. Minha bebe uma Yorkshire de apenas 4 meses está com essa doença, estou muito triste pq não é nada bom ver ela com essa tosse, ela adora correr e brincar com as crianças… o veterinário ainda não deu um tratamento mas estou com medo de perder ela…. ela veio pra trazer uma alegria pra nossa casa pois meu esposo estava com câncer terminal… digo estava pq faleu em 04/12/2018 Talvez por isso nosso medo de tbm perdermos nossa bb farei o q for possível e estiver em meu alcance para q ela fique com a gente e q tenha menos crises possíveis

    • Olá Valquiria,
      O importante é manter a calma e providenciar os cuidados médicos adequados à cachorrinha. Tudo vai correr bem 🙂
      Abraços,
      Joana Prata

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui