25 Sinais de Dor em Gatos: como saber se o meu gato está com dor?

2

Identificar os sinais de dor em gatos é algo tão importante para os donos como identificar os sinais de doença ou saber medir a febre. A dor não é meramente física, é soma do sensorial e do emocional. Os gatos são animais reservados e por vezes difíceis de interpretar.

Porque é que os cientistas quiseram identificar os sinais de dor em gatos?

Muitas vezes os donos ignoram sinais de dor em gatos por acharem que se trata de um comportamento normal ou decorrente do envelhecimento. Identificando estes sinais torna-se mais fácil reduzir o sofrimento causado pela dor.

Tanto os donos como os médicos veterinários necessitam de saber identificar de forma concreta os sinais de dores em gatos. Com esta informação poderão reduzir o sofrimento. Idealmente os sinais de dor deverão resultar da observação do comportamento, evitando a dor durante a manipulação e a agressão por dor.

Devido à importância de identificar os sinais de dor em gatos, dois cientistas dedicaram-se a estudar estes sinais. Assim, Isabella Merola e Daniel Mills identificaram 25 sinais de dor em gatos. Para os identificar, reuniram um painel de 19 veterinários especialistas em medicina felina interessados em várias áreas, como a neurologia, oncologia e comportamento.

Vários sinais de dor foram discutidos baseando-se em estudos anteriores. Os sinais foram incluídos na lista quando 80% dos especialistas concordaram com a importância do sinal. Os cientistas ainda tentaram segregar os sinais como suficientes (indicadores de dor) ou necessários (sempre presentes na dor). No entanto, consideraram que nenhum sinal de dor estava sempre presente.

 

 

Quais são so 25 sinais de dor em gatos?

O resultado deste estudo é uma lista de 25 sinais suficientes de dor em gatos que poderá ser utilizada por donos e médicos veterinários para melhor reconhecer esta condição. A lista incluí:

  1. Mancar
    A claudicação (mancar) poderá ser um sinal de dor num membro devido a patologias que afetem os ossos, músculos ou articulações.
  2. Dificuldade em saltar
    Motivos semelhantes à claudicação poderão originar a dificuldade em saltar. Ainda poderá ser resultado da fraqueza generalizada.
  3. Movimentos anormais
    A dor poderá resultar em movimentos anormais. Estes poderão ser resultado de um problema ortopédico ou como forma de minimizar a dor em algum local do corpo.
  4. Relutância em movimentar-se
    Um gato com dor poderá evitar movimentar-se para não aumentar a intensidade da dor.
  5. Reação à palpação
    Ao tocar numa zona dolorosa, o gato poderá reagir com vocalizações (miados, gemidos), olhando para a zona, lambendo ou tendo uma resposta agressiva resultante da dor.
  6. Esconder-se
    Os gatos são animais reservados por natureza. Quando se sentem doentes poderão tentar isolar-se, escondendo-se por longos períodos de tempo. Cabe ao dono identificar este comportamento fora do normal. Ao esconder-se, o gato poderá complicar a tarefa de identificação de sinais de dor e tratamento num dono menos informado.
  7. Menor asseio e cuidados com a higiene pessoal
    Os gatos quando se sentem doentes ou com dor tendem a reduzir os cuidados da pelagem. Como resultado, a pelagem de um gato com dor está mal mantida, apresentando-se suja, eriçada e mal penteada.
  8. Diminuição do comportamento de jogo
    A dor reduz a vontade do gato brincar. Logo alterações no comportamento de jogo poderão indicar que algo de errado se passa com o gato.
  9. Falta de apetite
    Animais com dor geralmente não têm apetite. Se notou que o seu gato tem comido menos deverá procurar ajuda veterinária. O jejum prolongado poderá ainda originar problemas hepáticos nos gatos, como a lipidose hepática felina.
  10. Diminuição geral da atividade física
    Tal como no comportamento de jogo, o gato com dor poderá diminuir a atividade física. Um animal com dor passa mais tempo a descansar e sem vontade de se movimentar.
  11. Diminuição do roçar nas pessoas
    Quando os gatos têm dor tendem a reduzir a interação com os seus donos. Isto pode significar que um gato com dor não procura a companhia do dono nem se roça nas suas pernas.
  12. Irritabilidade
    Um animal com dor está mais irritável. Ou seja, está menos disponível para tolerar o contacto humano. Poderá revelar-se como menos tolerância durante as carícias, mordendo de imediato.
  13. Temperamento irritável
    Na dor crónica, a irritabilidade poderá passar a fazer parte da personalidade do animal.
  14. Postura curvada
    Um gato com dor poderá apresentar uma postura com a coluna vertebral curvada.
  15. Mudanças no peso
    A dor poderá originar a falta de apetite nos gatos, resultando em perda de peso.
  16. Lamber uma região do corpo
    O lamber persistente de uma região corporal significa que algo de errado se passa com o gato. Nem sempre é sinal de dor, pois poderá também ser resultado de prurido.
  17. Postura de cabeça baixa
    A alteração da postura poderá ser resultado da dor. Por exemplo, no caso da dor na região do pescoço poderá resultar na postura de cabeça baixa.
  18. Blefarospasmo
    O blefarospasmo é o piscar de olhos persistente que normalmente resulta de dor ocular.
  19. Alteração no comportamento de alimentação
    Alterações durante a alimentação poderão ser sinal de dor em gatos. Por exemplo, deixar cair a comida da boca poderá ser sinal de dor oral no gato.
  20. Evitar locais com elevada luminosidade (fotofobia)
    Luz intensa poderão ser desconfortáveis para animais que sofram de dor ocular. Por exemplo, no glaucoma os animais apresentam este sinal.
  21. Rosnar
    O rosnar poderá ser uma forma de o gato transmitir que algo de errado se passa.
  22. Gemer
    O gemer é uma vocalização que indica que algo de errado se passa com o gato.
  23. Fechar os olhos
    O gato com dor pode passar mais tempo de olhos fechados.
  24. Esforço durante a micção
    Esforço e desconforto durante a micção poderão ser resultados de dor. Por exemplo, na passagem de um cálculo renal há muita dor e desconforto na micção. Outro sinal associado à este desconforto é a renega na utilização da caixa de areia, por associação à dor.
  25. Abanar espasmódico da cauda
    O abanar espasmódico da cauda ocorre quando o gato está a brincar ou quando se encontra irritado ou impaciente. Portanto o abanar espasmódico da cauda poderá ser resultado da dor em gatos.

 

Se o seu gato apresenta um destes sinais não entre em pânico: estes sinais são indicadores de dor mas podem estar presentes também na ausência de dor. Alguns sinais poderão ainda ser associados a patologias específicas, como patologias neurológicas sem dor.

A personalidade do felino também é muito importante. Gatos diferentes exprimem dor de forma diferente. Assim, os sinais de dor num gato não são necessariamente os sinais noutro.

Se o seu gato apresenta um conjunto destes sinais há uma boa chance de estar com dores. Neste caso deverá marcar uma consulta no médico veterinário o mais rápido possível. Procure também apresentar ao médico veterinário a lista de alterações que observou no seu gato, relacionadas com a dor ou não. Poderão ser auxiliares ao diagnóstico.

 

Sinais de dor aguda nos gatos

Nem todas as dores são iguais. Na dor crónica, há adaptação do organismo a este novo estado. Alguns sinais poderão ser o resultado de um comportamento durante um largo periodo de tempo devido uma dor prolongada, como a perda de peso.

Na dor aguda, os sinais serão mais evidentes. O corpo do gato vai responder de uma forma mais intesa e evidente aos sinais de dor aguda. Neste estudo, os autores destacam 3 sinais de dor aguda em gatos:

  • Respiração ofegante;
  • Dilatação das pupilas;
  • Blesfarospasmo.

Estes sinais podem significar que o gato está a sofrer com dor recente e intensa. A dor aguda ainda se acompanha de aumento na frequência respiratória e cardiovascular, aumento da tensão arterial e agitação.

Já observou algum destes sinais no seu gato? Deixe-nos a sua experiência nos comentários.

Se quiser saber mais, veja o artigo cientifico original.

2 COMENTÁRIOS

  1. Minha gata ja e idosa e esta tendo crisis de paralisia momentanea, se torce e tenta morder a coluna. As vezes cai de onde esta, de cima da cama por exemplo. Comecou lambendo muito a base da cauda e o pelo caiu bastante ai, agora passa isso, se voltea muito em direcao a coluna como se algo ai lhe incomodara, e as vezes cai. Uma vez la agarre do chao pra ajuda la e sem querer me mordeu, porque minha mao estava na coluna, ela nao conseguia se mexer, estava torta com a cabeca para traz e tentava morder a coluna. Depois que passa essa crise ela sai andando normamente,como se nada, come normal, toma agua e faz suas necessidades sem problemas. Esta magrinha, mas me disseram que eh pela idade tem 18 anos. Mas come normal, esta desparasitada. Esta castrada, e nunca engordou depois da castracao. Dou vitamina que receitou a vet, mas nao sei o que fazer quanto a essas crisis.

    • Olá Cris,
      É possível que não seja paralisia mas que se deve ao prurido intenso que a gata tem nessa região da cauda, até originando a perda de pelo. O prurido na base da cauda em gatos é compatível com alergia à picada de pulga. Por isso recomendados fazer uma desparasitação externa e seguir as dicas do nosso artigo.
      Abraços,
      Joana Prata

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui