Brincar com o gato previne mau comportamento

0
gato dentro de saco

Os problemas de comportamento são algo sério que muitos donos acabam por não abordar durante as visitas à clínica veterinária. Mas os problemas de comportamento podem ser sérios ao ponto de serem a causa de 10 a 28% do abandono de gatos! No entanto, alguns destes comportamentos devem-se à falta de enriquecimento ambiental, ou seja, falta de adequação do ambiente às necessidades do gato.

 

O enriquecimento ambiental é a adequação do ambiente para benefício do indivíduo, satisfazendo as suas necessidades fisiológicas e comportamentais. Por isso, para expressão do comportamento do gato é necessário fornecer um ambiente complexo e com oportunidade para a sua expressão, através de brincadeiras, brinquedos e objetos.

Num estudo, 277 donos de gatos que se tinham dirigido a clínicas veterinárias para tratamento de outros problemas que não comportamentais responderam um questionário relacionado com as atividades de enriquecimento e problemas comportamentais dos seus gatos.

A média de gatos por casa era 2, tendo à sua disposição mais de 7 brinquedos, mas 61% dos gatos sofriam de pelo menos um dos problemas comportamentais considerados. Estes problemas comportamentais incluíram agressão ao dono (arranhar, morder), eliminação inadequada de fezes e urina, agressão aos outros gatos da casa, agressão a gatos no exterior e agressão aos visitantes.

Os resultados foram surpreendentes. Os investigadores não encontraram relação dos problemas comportamentais com a frequência com que os donos brincam com o seu gato (diária, semanal, mensal). No entanto, os gatos apresentam menos problemas comportamentais quando os donos brincam por mais que 5 minutos em cada sessão.

Mesmo os gatos tendo outros gatos com que brincar em casa (média de 2 gatos por casa), a brincadeira com o dono é importante na prevenção de problemas comportamentais. Já o número de brinquedos disponíveis não teve qualquer relação com a frequência dos problemas comportamentais.

Tendo em conta o comportamento predatório, os gatos caçam em média por 30 minutos. Aproximar o tempo de brincadeira, que simula o comportamento de caça, a este período é benéfico para o gato pois permite-lhe expressar o seu comportamento natural.

Também é recomendado que os brinquedos sejam guardados após utilização e trocados por outros. Em estudos anteriores revelou-se que os gatos perdem interesse no brinquedo após 3 utilizações seguidas. Ao substituir o brinquedo por outro aumenta-se o interesse na brincadeira. Não é preciso estar sempre a comprar brinquedos, basta guardá-los por uns dias e voltarão a ser interessantes para o gato.

Recomenda-se assim períodos de brincadeira com o gato longos, de 15 a 30 minutos por dia. É possível que estes períodos permitam satisfazer as necessidades de brincadeira do gato e diminuir o aparecimento de problemas comportamentais.

Em alternativa, donos de gatos com problemas comportamentais podem tender a brincar menos com estes gatos ou estes gatos terem menos interesse em brincar. Ainda não é clara a origem desta relação do tempo de brincadeira com o aparecimento de problemas comportamentais.

Mesmo assim, brincar todos os dias com o gato por 15 a 30 minutos só poderá ser benéfico. A relação entre o dono e gato ficará fortalecida, satisfaz as necessidades de exercício e brincadeira do gato e ainda poderá ter o benefício de reduzir os problemas comportamentais.

E você? Brinca com o seu gato?

 

Fonte: Strickler & Shull 2014

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui