A ração tem prazo de validade? Como saber se está estragada?

As rações têm uma validade a partir da qual a qualidade do alimento pode estar alterada, como o sabor ou o equilíbrio nutricional.

Apesar de terem longo prazos de validade (1 – 2 anos), existe um momento a partir do qual a sua qualidade da ração deixa de ser garantida. Estes prazos apenas se aplicam as embalagens fechadas, sendo que as rações abertas se estragam mais rapidamente.

Se os cães ou gatos ingerirem rações vencidas podem não sofrer qualquer alteração ou sofrer distúrbios gastrointestinais. Já comida estragada têm uma maior probabilidade de causar gastroenterites, com vómito e diarreia.

Por isso, também incluímos um pequeno guia de como avaliar se a ração se estragou, baseado em alterações da sua cor, textura, e cheiro.

A ração tem validade?

A maioria das rações para animais apresentam no rótulo “Consumir de preferência antes de…”. Mas o que significa? Os prazos de validade nos alimentos podem ser de dois tipos:

Prazo de validadeDefinição
“Consumir até…”Data limite de consumo, em que o alimento deixa de ser microbiologicamente seguro.
“Consumir de preferência antes de…”Data após a qual o alimento pode perder qualidade, podendo ter propriedades alteradas (ex. sabor, textura, nutrição). Utilizado em nutrientes não perecíveis a nível microbiológico.

As rações para animais têm prazos de validade, após os quais a sua qualidade já não é garantida. Embalagens fechadas têm prazos de 12 a 18 meses para ração seca e 2 anos para ração húmida.

Após este prazo, a qualidade da ração, como o seu equilíbrio nutricional, não é garantido. Por exemplo, as vitaminas são nutrientes suscetíveis à degradação e podem perder-se durante um armazenamento longo.

Como o prazo inicia-se a partir da data de produção e depende dos ingredientes e aditivos, deverá seguir o prazo de validade indicado na embalagem.

O processo de produção das rações também contribui para a preservação das rações.

Validade da ração seca

A ração seca tem um prazo mais curto quando fechada, mas depois de aberta tem um prazo de algumas semanas. A validade da ração seca resulta das seguintes características:

  • Baixo conteúdo de água (10%) não é favorável ao crescimento bacteriano;
  • Pode absorver água da atmosfera tornando-se mole;
  • Elevado conteúdo de gordura torna-a susceptível à formação de ranço.

Por este motivo, a ração seca deve ser armazena fechada na embalagem original. Armazenar a ração seca noutros recipientes pode acelerar a formação de ranço.

A embalagem original é o local ideal para preservar a ração, uma vez que foi desenhada para prevenir a entrada de ar e humidade.

A embalagem da ração seca deve ser preservada num local fresco e seco. Depois de aberta, deve ser consumida em algumas semanas. Por este motivo, pode ser preferível comprar sacos mais pequenos de ração.

Validade da ração húmida

A ração húmida tem um prazo de validade mais longo quando está fechada, mas depois de aberta deve ser consumida rapidamente. A validade da ração húmida resulta das seguintes características:

  • Esterilizada dentro de latas, saquetas ou tinas seladas hermeticamente;
  • Maior conteúdo de água (70%) torna-a susceptível a crescimento bacteriano depois de aberta;
  • Seca e azeda rapidamente quando exposta ao ar.

As embalagens de ração húmida devem ser armazenadas num local fresco e seco. Depois de aberta, deve ser mantida refrigerada (4ºC), selada com uma tampa ou plástico, e consumida dentro de 3 dias.

Como a ração húmida azeda rapidamente, não é comendado deixar este alimento à disposição do animal. Os restos de ração húmida não consumidos pelo animal durante a refeição devem ser rapidamente removidos.

Validade da ração: ingredientes e a utilização de aditivos alimentares

O prazo de validade da ração depende do tipo de ração e da qualidade dos seus ingredientes. Por exemplo, carnes frescas têm que ser adequadamente preservadas antes de ser incluídas nas rações.

Rações frescas ou congeladas, como rações de carne crua, têm prazo de validade mais curtos do que rações húmidas equivalentes. A utilização de calor permite eliminar os microrganismos nos alimentos e prolongar o seu prazo de validade.

Certos ingredientes podem prolongar o tempo de vida da textura dos alimentos. Por exemplo, a gordura separa-se e o molho gelifica-se nas rações húmidas, o que pode ser retardado utilizando certos ingredientes (ex. milho, batatas).

A validade da ração também depende da utilização de aditivos alimentares. Os aditivos podem ter funções de melhorar a textura, como os emulsionantes, de melhorar a nutrição, como os suplementos, ou de prolongar o tempo de vida da ração, como os conservantes e antioxidantes.

Um dos problemas das rações é a degradação das gorduras por reação com o oxigénio do ar (oxidação). Forma-se ranço, com um cheiro e sabor repulsivo, alteração da cor, perda de valor nutricional e formação de compostos perigosos.

A utilização de antioxidantes permite proteger as gorduras e prolongar a validade. Podem ser utilizados antioxidantes sintéticos, com o BHA e BHT, ou antioxidantes naturais, como a vitamina E os seus percursores (carotenos).

Como os antioxidantes naturais têm um ação protetiva mais limitada, as rações que os utilizam podem ter prazos de validade mais curtos. É o caso das dietas orgânicas e naturais, onde apenas aditivos naturais são utilizados.

O que acontece se o cão ou gato comer ração fora da validade ou comida estragada?

As rações para animais geralmente apresentam um prazo de validade após o qual o alimento pode perder a qualidade. No entanto, não são consideradas alimentos perecíveis de grande risco de crescimento microbiano.

É possível que a ração vencida não provoque qualquer reação no cão ou gato. Também poderá causar distúrbios gastrointestinais, devido ao apodrecimento ou formação de compostos por degradação dos nutrientes.

A alteração na composição da ração também significa que há uma perda do seu valor nutricional. A longo-prazo, alimentar o animal com uma ração vencida pode causar deficiências nutricionais. Os primeiros sinais são alterações da pele e pelo e na visão.

Os cães e gatos podem também comer acidentalmente comida estragada (ex. comer lixo). As rações húmidas são também suscetíveis ao apodrecimento se deixadas ao ar e ao calor. O crescimento bacteriano (ex. E. coli) e toxinas (ex. micotoxinas produzidas por bolores) nestes alimentos podem provocar uma gastroenterite.

O animal pode apresenta náusea, salivação, vómitos, diarreia, dores abdominais, anorexia, tonturas, e febre. Algumas tóxinas podem ainda causar doença hepática (ex. aflotoxina) ou alterações neurológicas. É recomendado o animal ser acompanhado por um médico veterinário.

Logo, não é recomendado dar ração para além do prazo de validade ou comida estragada ao seu gato ou cão.

Os alimentos podem apodrecem antes do prazo de validade. Isto ocorre devido a más condições de preservação com comprometimento da embalagem ou exposição a elevadas temperaturas e humidade.

Apresentamos em seguida um guia que o ajuda a avaliar o estado de preservação da ração do seu animal.

Como saber se a ração se estragou?

Os cães e os gatos têm sentidos mais apurados do que nós. Por isso, poderão rejeitar alimentos que achem que não estão bons. Este pode ser um dos motivos que leva a que os gatos não comam a ração velha.

No entanto, os cães por vezes também comem alimentos apodrecidos. Por isso, é importante monitorizar o estado de conservação da ração.

A ração pode estar estragada ou apodrecida se apresentar:

  • Cheiros desagradáveis, a azedo, ou râncido;
  • Sinais de húmidade ou separação dos ingredientes;
  • Presença de degradação microbiana, bolor, ou insetos;
  • Exposição a calor ou húmidade;
  • Uma data de validade ultrapassa;
  • Recusa pelo animal ou desconforto gastrointestinal.

Deixe um comentário