Mau hálito em cães: causas e tratamento

22

O mau hálito do cão, ou halitose, é caracterizado por cheiros desagradáveis com origem na boca.

É um problema comum em cachorros e afecta a relação com o dono.

O mau hálito em cachorros é muitas vezes o primeiro sinal de patologia oral detectado pelo dono.

 

 

Qual é o aspecto da boca saudável do cão?

A boca saudável não deve apresentar cheiros desagradáveis. Os dentes devem ser brancos sem acumulação de resíduos. As gengivas devem ser rosadas.

Qual é a origem do mau hálito canino?

O mau hálito canino pode ter origem em vários locais e pode ser provocado por múltiplas causas. As causas mais frequentes localizam-se na cavidade oral. Num animal saudável o odor proveniente da boca não deveria ser desagradável.

 

Mau hálito do cão

Formação de compostos com mau odor na boca

Durante o dia, na boca do cão vão-se acumulando resíduos. Estes são ricos em proteína e têm origem em restos de comida, esfoliação de células da boca, saliva, sangue e fluídos.

As bactérias gram negativas presentes na boca metabolizam estas proteinas. Como resultado formam-se compostos sulfurados voláteis (ex. sulfureto de hidrogénio, metil mercaptano). Estes são responsáveis pelo mau hálito e periodontite.

Durante a noite, há redução da produção de salina, abstinência de alimento e água e aumento do número de bactérias. Estes factores dão origem ao mau hálito matinal do seu cão.

As bactérias que mais frequentemente originam mau hálito são:

  • Fusobacterium polumorphum
  • Veillonella alcalescens
  • Bacteroides fundiliformis
  • Klebsiella pneumoniae
  • Leptotrichia sp.

A presença destas bactérias é dependente de ligeiras flutuações no ambiente da boca do cão. Manutenção do equilíbrio entre bactérias gram negativas e gram positivas demonstrou reduzir a formação de mau odor na boca.

Doença oral

É uma infecção bacteriana das gengivas, ligamento do dente e osso. Origina-se pela acumulação de bactérias e falta de higiene oral. A multiplicação de bacterias origina produtos que lesam os tecidos. Sem tratamento causa perda de dentes.

Inicialmente, a acumulação de resíduos e bacterias origina a placa bacteriana. Como o tempo, sofre mineralização sob a acção do cálcio presente na saliva originando tártaro. O tártaro ocorre principalmente nos pré-molares e molares do cão.

A placa dentária pode ser removida através da lavagem dos dentes, enquanto que o tártaro apenas pode ser eliminado através da realização de uma destartarização pelo médico veterinário.

  • Gengivite
    Há apenas inflamação da gengiva adjacente ao dente. Encontra-se vermelha ou roxa devido à inflamação e pode sangrar. Com a sua progressão forma espaços entre a gengiva e dente onde se acumulam resíduos e bactérias. Causam mau hálito e pode progredir para periodontite.
  • Periodontite ou doença periodontal
    A maioria dos cães adultos apresentam periodontite após os 4 a 6 anos. Resulta de anos de desenvolvimento de placa dentária, tártaro e gengivite. Consiste numa lesão da gengiva, ligamento do dente e osso. Afecta principalmente os dentes superiores e a superficie labial. É progressiva, irreversível e resulta na perda do dente.
  • Cáries em cães
    Os cães têm dietas com baixos açucares e saliva que neutraliza ácidos, o que torna as cáries raras nos cães. Ocorrem principalmente na superfície do dente, nas laterais dos molares e junto às gengiva. Podem ser tratadas através do seu preenchimento à semelhança da medicina dentária humana.

 

Outras patologias causadoras de mau hálito em cães

Se o seu cão apresenta dentes brancos e gengivas saudáveis poderá estar a sofrer de patologias com origem na boca, orgãos adjacentes ou sistémicas.

 

Patologias orais e adjacentes

  • Corpos estranhos presos na cavidade oral
    Durante a ingestão, pode ficar com os ossos, pelos e ervas presos na boca ou no esófago. No caso de ter algo preso na boca é comum observar-se salivação profusa e tentativas de tirarem o corpo estranho com a pata. Caso não consiga remover ou identificar o corpo estranho consulte o seu médico veterinário.
  • Úlceras orais (ex. estomatite periodontal ulcerativa crónica).
  • Massas e tumores orais (ex. granuloma eosinofilico, epulis).
  • Inflamações (ex. faringite, tonsilite, rinite, sinusite).
  • Trauma (ex. agentes cáusticos)
  • Inflamação dos lábios ou da pele (ex. dermatite peri-oral, intertigo ou dermatite das pregas de pele).
  • Dilatação do esófago (ex. megaesófago).

Dieta como causa de halitose

  • Dieta rica em proteína
    O mau hálito é originado na formação de compostos sufurados. Estes resultam da metabolização da proteína por bactérias da boca. Assim dietas muito ricas em proteína potenciam a formação de mau hálito no cão. E podem seleccionar bactérias causadoras de mau hálito.
  • Dietas moles ou pastosas
    Dietas moles ou pastosas acumulam resíduos entre os dentes e gengivas com maior facilidade. Por outro lado não ajudam a remover a placa e resíduos por acção mecânica. Quando o cão mastiga alimentos sólidos “raspa” e remove a placa. Por isso a ração seca parece reduzir a formação de placa bacteriana e mau hálito.
  • Dietas com cheiro forte
    A alimentação de dietas com cheiros fortes e desagradáveis podem causar mau hálito no cachorro.
  • Coprofagia
    Alguns cachorros têm tendência a ingerir fezes suas ou de outros animais. Enquanto que pode dever-se a disturbios nutricionais, pode tratar-se apenas de um problema comportamental. Evite que o seu cão contacte com fezes e mantenha a caixa de areia do gato num local inacessível.
  • Alimentação pontual com lixo ou comida putrefacta
    Por vezes os cães “assaltam” os caixotes do lixo para ingerirem restos de comida putrefacta. Este comportamento pode causar mau hálito pontual.

Causas sistémicas da halitose

  • Insuficiência renal: úlceras orais e hálito com odor a amónia (urémia).
  • Patologias hepáticas.
  • Diabetes: hálito a acetona
  • Auto-imunes: lupus eritematoso, penfígos (provocam úlceras orais e peri-orais).

mau halito em cães

 

Estará o meu cão em risco de mau hálito?

Existem alguns factores que tornam o seu cão mais susceptível a sofrer de mau hálito. Estes estão relacionados com a sua alimentação, hábitos de higiene e conformação física. Entre eles destacam-se:

  • Raças pequenas (dentes estão mais juntos).
  • Raças de focinho curto (braquicefálico).
  • Dietas moles e ricas em proteína.
  • Excesso de guloseimas na dieta.
  • Falta de higiene oral.

Diagnóstico da causa do mau hálito em cães

O mau hálito canino pode ser sentido no bafo do cachorro durante o exame clínico. Assim, o médico veterinário recolhendo dados da história e do exame clínico do cão pode desenvolver uma suspeita.

Deve-se observar cuidadosamente a cavidade oral. De seguida deve-se observar estruturas adjacentes que possam ter mau cheiros confundidos com mau hálito. Entre estes destacam-se infecções de ouvidos (otites), lábios ou pele adjacente.

Para avaliar a saúde dos dentes, cavidade oral, cavidade nasal, faringe e esófago podem realizar-se radiografias. Estas permitem observar patologias, como dentes partidos, sinusites e corpos estranhos.

 

Como tratar o mau hálito de cachorro?

Para acabar com o mau hálito canino deve apostar principalmente na prevenção. Se o mau hálito se dever a patologias, estas deverão ser tratadas.

Higiene oral

A lavagem dos dentes do cão deverá ser realizada diariamente com uma pasta enzimática apropriada e escova. Permite reduzir a formação de placa dentária e o consequente mau hálito. Idealmente deveria ser realizada a cada 12 horas. Que corresponde ao tempo de formação da placa bacteriana.

Destartarização e extracção de dentes

O tártaro não é removido através da lavagem de dentes. Para remover o tártaro do seu cão terá que recorrer ao seu médico veterinário. O cão será anestesiado para a destartarização. O procedimento é semelhante ao que ocorre em medicina dentária humana. No final os dentes são polidos para evitar a formação de placa.

Por vezes poderá ser necessário realizar-se extracção de dentes no cão. Poderá ser necessária em fracturas dentária ou devido a periodontite intensa. Quando a doença periodontal causa perda de 50% a 66% do tecido de suporte do dente é recomendado realizar-se a remoção.

Dieta adequada

Deve-se evitar alimentos moles, dietas com odor forte, guloseimas e alimentos açucarados. Impeça a ingestão de fezes pelo cão colocando a caixa de areia do gato num local inacessível e limpando as fezes do seu jardim frequentemente.

É aconselhada a administração de ração seca que se acumula menos nos dentes e a sua mastigação ajuda na remoção da placa. A acção mecânica, o mastigar e o aumento da saliva favorecem a eliminação das bactérias. Existem dietas especiais que favorecem a saúde oral através da redução da acumulação de depósitos de resíduos e evitando gengivite.

Guloseimas e brinquedos

As guloseimas e brinquedos podem ser aliados na higiene oral do cão. Certamente que são de mais fácil aplicação do que a lavagem dos dentes. Existem barras dentárias para o cão roer que têm princípios anti-placa. Actualmente é fácil encontrar vários tipos e formas de guloseimas com vantagens para a limpeza da boca do cão. Por outro lado, existem brinquedos de roer com feixes de limpeza de dentes que podem ajudar na higiene.

Produtos anti-placa dentária

Poderá ser aplicado semanalmente gel anti-placa ou rico em zinco. Permitem controlar as infecções e o mau hálito. Produtos contendo zinco ligam-se aos compostos de enxofre que causam o mau hálito e neutralizam-nos. Por exemplo, tratamento com gel de cisteína zinco-ascorbato reduz o mau hálito em 30 minutos.

Podem ser utilizados desinfectantes orais para reduzir a carga microbiana e placa dentária na boca. Estes contêm clorexidina ou outro composto antibacteriano que elimina as bactérias orais. Poderá ser aplicado como lavagem ou em pasta, spray ou utilizando um cotonete.

Tratamento da causa específica

Se o seu cão sofre de alguma patologia específica esta deverá ser tratada. No caso de corpos estranhos, estes deverão ser removidos. Em casos de infecção deverá ser implementado antibioterapia. Dermatites são tratadas com antibióticos, champôs e cirurgia de remoção de pregas de pele. No caso de tumores, este podem sofrer remoção cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Exame oral periódico

É importante que a cavidade oral do seu cão seja avaliada regularmente por um médico veterinário. Este exame oral deverá ocorrer no mínimo a cada 6 a 12 meses. Assim será possível detectar patologias precocemente e tratá-las antes de terem consequências irreversíveis.

Referências:
Culham N., Rawling J.M. (1998) “Oral malodor and its relevance to periodontal disease in the dog” J. Vet. Dent. 15-4, 165-168
Dental Disorders of Dog

 

Veja também:

22 COMENTÁRIOS

    • Olá Natalia,

      Depende de qual for a doença. Se sofre de doença renal poderá sentir um odor estranho na boca. Esse caso requer acompanhamento médico porque os rins não estão a ser capazes de cumprir a sua função na excreção de substâncias tóxicas como o ácido úrico. Se foi após a toma de antibótico, é possível que este tenha alterado a população de bactérias no organismo do animal. Aí poderá pensar em fazer uma destartarização e de seguida manter uma boa higiene oral escovando os dentes da sua cadela.

      Abraços,
      Joana Prata

  1. Boa tarde, Joana Prata.

    Minha cachorra comia a ração golden frango e arroz, recentemente troquei para salmão e arroz e observei que ela agora esta com um mau hálito, que cheira a peixe podre e isso nunca tinha acontecido. Levei em um veterinário e o mesmo verificou que ela não tem tártaro. Queria saber se só pelo fato de trocar o sabor da ração isso pode acontecer. Pois a minha pequena adora me lamber e agora não consigo nem deixar ela chegar perto do meu nariz, pois não aguento o mau cheiro. O que posso fazer? Volto com o sabor anterior da ração?

    • Olá Simone,
      Como falamos neste artigo existem várias causas para a halitose canina. Muitas delas incluem patologias dentárias (tártaro), gastrointestinais ou metabólicas. Como já foi ao veterinário indica que estas devem ter sido excluidas. Portanto parece que o único factor é a alteração na ração. Aconselhamos a voltar a experimentar a ração anterior e observar se há melhorias na halitose. Se melhorar mantenha a dieta que evita o mau hálito.

      Abraços,
      Joana Prata

  2. Olá, o meu cão completou 13 anos a 4 meses, raça pequena. E já a algum tempo notei que ele tem mau hálito muito forte. Verifiquei os dentes, e os dentes caninos e molares estão amarelados, como no meu país não tem recursos para tratamento adequado para pets gostaria de saber como posso tratar o mau hálito do meu cãosinho. Ele é muito carinhoso e devido ao mau hálito não me aproximo muito a ele para não sentir o mau hálito.

    • Olá Kessia,

      Experimente comprar uma escova de dentes para cães e lavar com água e sal ou com pasta de dentes para cães (nunca de humanos que é tóxico). Também deverá ter cuidado com a alimentação pois poderá potenciar o mau hálito canino.

      Abraços,
      Joana Prata

  3. Bom dia Dª JOANA PRATA,o meu cão tomou recentemente antibiótico para um a alergia na pele,apos ter terminado o tratamento da alergia ficou com um hálito horrível isto é normal? vai passar?O que me aconselha,deve tomar algum medicamento?se sim, poderia indicar o nome sff,obg.ROSA PIMENTEL.

    • Bom dia Rosa,

      É possível que os antibióticos utilizados para eliminar a infecção secundária na atopia tenham originado um desequilibrio nas bactérias da boca e agora o seu cão sofra de mau hálito. Primeiro deverá verificar o estado da boca do seu cão. Se os dentes têm tártaro ou as gengivas estão vermelhas terá que consultar o médico veterinário para fazer uma destartarização ou tratamento da gengivite. Caso não encontre uma causa para o mau hálito recomendamos que lave os dentes do cão com uma pasta própria ou com água e sal ou dê guloseimas apropriadas para corrigir o mau hálito.

      Abraços,
      Joana Prata

  4. minha cachorra esta com halito de peixe podre,ela esta com 6 meses e esta trocando os dentes,sera que é esse o motivo?

    • Olá Ivanete,

      Existem muitas causas de mau hálito. Neste momento, como está na muda de dentes, deverá esperar um pouco para ver se a situação melhora uma vez que há inflamação. Se suspeitar de outra causa para o mau hálito, deverá visitar o médico veterinário.

      Abraços,
      Joana Prata

    • Olá Cássia,

      Existem várias causas para o mau hálito. O tártaro é uma delas. Logo removendo o tártaro melhorará o mau hálito.

      Cumprimentos,
      Joana Prata

  5. A minha cadela tem 6 meses e está com o primeiro cio.

    Passa a vida a lamber-se.

    Será que o mau hálito dela pode vir daí?

    Ou pode vir de uns biscoitos para cão que lhe dou de vez em quando? Estes têm cheiro intenso.

    Obrigada.

    • Olá Isabel,

      O mau hálito é multifactorial. Alimentos com cheiros fortes podem causar mau hálito. Poderá esperar pelo final do cio ou até deixar de dar os biscoitos como forma de testar se são a fonte do mau hálito.

      Cumprimentos,
      Joana Prata

    • Olá Flávia,

      Durante a troca de dentes é normal o mau hálito. Se se mantiver após a troca de dentes deverá consultar o seu médico veterinário.

      Abraços,
      Joana Prata

  6. Minha cachorra tem uns dez anos, notei que ela está com odor de fezes na bora e na gengiva está como se fosso bolo de morfo; isso é tartaro?

    • Olá Samantha,

      pela descrição parece ser tártaro. Aconselhamos uma visita ao médico veterinário para destartarização. Como já é idosa, o ideal será fazer exames para garantir que está de saúde e que poderá fazer a anestesia para a destartarização.

      Cumprimentos,
      Joana Prata

  7. Bom dia. O nosso Cane Corso com 15 meses tem desde sempre um mau hálito infernal. É tão intenso que nem sempre a roupa lavada perde o cheiro à primeira vez… A saliva é bastante ácida, causando inclusive reação na pele do meu marido. Na consulta veterinária a boca foi vista e não apresenta nada de anormal. O que fazer? Obrigada!

    • Olá Ana,

      Já considerou mudar a dieta do animal? Experimente utilizar rações secas de melhor qualidade (super premium) ou se já usa, mudar de marca. É preciso ter em conta que a adaptação do organismo poderá levar algumas semanas.

      Abraços,
      Joana Prata

  8. Meu cachorro de 5 anos um poodle está com um mal hálito insuportável, já comprei vários produtos para escovação e nada adiantou, petiscos próprios para tal também é nada, reparei que ao escovar os dentes dele, sangra muito e a gengiva fere, tem um dente que amoleceu também então parei de escovar, ele está com tártaro.

    • Olá Deise,
      No caso do tártaro e problemas no dente (carie ou desvitalização) apenas poderá ser resolvido no seu médico veterinário. O tártaro não sai apenas com a lavagem. Após a destartarização é que deverá manter a higiene oral com regularidade de forma a evitar nova formação de tártaro.
      Abraços,
      Joana Prata

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui