Comida caseira para cães e gatos (e receitas veterinárias)

Sabia que pode cozinhar receitas de comida caseira para o seu cão e gato? A comida caseira é um tipo de alimentação alternativa às rações convencionais.

Cozinhar para cães e gatos permitem ter mais controlo sobre a sua dieta. No entanto, muitas receitas têm deficiências nutricionais e originam problemas de saúde.

Por isso, neste artigo partilhamos tudo o que precisa de saber sobre a dieta caseira e um conjunto de receitas formuladas por médicos veterinários.

A comida caseira é saudável para os cães e gatos?

A comida caseira pode ser saudável para os cães e gatos. Tudo depende do equilíbrio de nutrientes no alimento.

No entanto, é improvável que restos de alimentação humana forneçam uma dieta equilibrada aos nossos animais de companhia.

O organismo tem necessidade de nutrientes específicos e não de ingredientes. Assim, poderá conseguir fazer uma ração caseira nutricionalmente equilibrada dependendo da mistura dos ingredientes.

No entanto, é mais complicado para os cuidadores conseguirem fazer uma alimentação caseira nutricionalmente equilibrada. Isto porque a nutrição animal requer muito conhecimento e os ingredientes podem variar de qualidade.

Devo dar comida caseira ou ração ao meu cão ou gato?

Os cuidadores que optam por confeccionar comidas caseiras preocupam-se com a adequação nutricional e ingredientes utilizados nas rações comerciais. Procuram envolver-se na vida do seu animal, trazer-lhe conforto, ou auxiliar no controlo de certas doenças.

As dietas caseiras requerem um grande investimento de tempo (e dinheiro) e procura de conhecimento especializado, idealmente de médicos veterinários nutricionistas. Os cuidadores precisaram de seguir as receitas à risca para não induzirem deficiência nutricionais.

Os ingredientes utilizados podem variar em qualidade. Por exemplo, um bife pode ter mais ou menos gordura. O cuidador precisará ser rígido quando segue a receita preparada pelo seu médico veterinário para garantir que fornece todos os nutrientes que o animal necessita.

Fazer a própria ração permite controlar a presença de certos ingredientes, por exemplo nas alergias alimentares, ou auxiliar ao controlo de outras doenças (ex. insuficiência renal). Na verdade, dietas caseiras frequentemente recomendadas pelo médico veterinários nestes casos. Também poderá seguir uma dieta natural ou orgânica, com a exceção dos suplementos que são sintéticos.

Devido ao risco de deficiência nutricional, é recomendado que cães e gatos que sigam dietas caseiras sejam seguidos pelo médico veterinário 2 a 3 vezes por ano. Será avaliado a vitalidade, condição corporal, parâmetros do sangue, e fezes. A análise do pelo e pele e dos olhos é recomendada uma vez que estes sistemas são os mais sensíveis a deficiências nutricionais.

Seguem-se alguns motivos que levam os cuidadores a optar por uma dieta caseira para o seu cão ou gato:

  • Utilizar ingredientes frescos, orgânicos e naturais;
  • Evitar aditivos e contaminantes;
  • Evitar certos ingredientes das rações comerciais;
  • Fornecer uma dieta mais palatável;
  • Desejo de cozinhar para o animal;
  • Controlo dietético de uma patologia;
  • Evitar o desenvolvimento de alergias alimentares;
  • Diversificar a alimentação do cão;
  • Fornecer uma dieta que siga os princípios nutricionais do cuidador (ex. baixa em gordura).

Em alternativa, uma ração comercial é recomendada quando o cuidador não pode estar tão envolvido na nutrição do seu cão ou gato. As rações comerciais que se apresentam no rótulo como “completas e equilibradas” fornecem todos os nutrientes que o animal necessita de uma forma conveniente e (geralmente) barata.

Um estudo sobre o custo da alimentação de cães revelou que a ração seca é mais barata do que as dietas caseiras. No entanto, as rações húmidas excedem o preço das dietas caseiras. Para animais que precisem de dietas mais palatáveis e moles, a dieta caseira pode estar em vantagem.

Animais que têm maiores necessidades não deverão ser alimentados com dietas caseiras pois estão em maior risco de sofrer deficiências nutricionais. É o caso de animais em crescimento, gestantes, e lactantes, sendo para estes recomendado utilizar uma ração comercial. Em alternativa, poderão ser seguidos semanalmente por um médico veterinário nutricionista.

O Dr. Jerry Kein explica “Geralmente não recomendamos dietas caseiras para cães com menos de um ano de idade. Se os cães jovens não receberem uma quantidade apropriada de cálcio e fósforo, podem resultar deformações ósseas significantes.”

Continua “Cadelas gestantes ou lactantes também têm necessidades dietéticas únicas que podem não ser satisfeitas com as receitas encontradas na internet”.

Que comidas posso fornecer ao meu cão ou gato em vez de ração?

O cão e gato podem comer vários alimentos comuns na nossa dieta, como carnes e vegetais. No entanto, existem ingrediente que o cão e gato não podem comer. É o caso da cebola, alho, passas, chocolate, entre outros alimentos tóxicos para animais de companhia.

Deverá seguir uma receita feita por um médico veterinário. A utilização de uma variedade de ingredientes não garante que o animal recebe todos os nutrientes que precisa.

Apresentamos princípios e receitas de rações caseiras completas em baixo. Se apenas quer cozinhar guloseimas que irá fornecer ocasionalmente, recomendamos que leia as nossas receitas para biscoitos.

A nutrição dos cães e gatos é muito diferente da nutrição humana. Não se surpreenda que as recomendações se oponham às feitas para dietas humana (ex. teor de gordura).

Deverá evitar fornecer comida crua ao cão e gato, especialmente de origem animal (ex. carne e ovos). Como explicamos na dieta de carne crua (BARF), estes ingredientes contêm microrganismos patogénicos como a Salmonella.

O sistema digestivo dos animais não é suficiente para eliminar os microrganismos patogénicos. Congelar apenas os adormece. Por outro lado, cozinhar os alimentos elimina-os e melhora a absorção e disponibilidade dos nutrientes.

Ainda poderá fazer receitas caseiras vegetarianas e veganas. No entanto, estas dietas têm maior risco de deficiência de vários nutrientes, especialmente nos gatos. Nestes casos, recomenda-se a utilização de rações comerciais.

O que deve ser incluído e como confeccionar uma ração caseira para cães e gatos?

As receitas de comida caseira para cães e gatos são geralmente formuladas a partir de tabelas nutricionais dos ingredientes. As recomendações nutricionais dos animais de companhia são conhecidas e disponibilizadas por várias associações (ex. AAFCO, FEDIAF).

É feito um cálculo matemático que garante que os nutrientes estão presentes em quantidades suficientes para as necessidades nutricionais e que não excedem as quantidades tóxicas. No entanto, estas formulações (ou receitas) não foram testadas para comprovar que o resultado final é equilibrado.

Logo, é importante que o animal seja seguido com regularidade por um médico veterinário. É também importante seguir as receitas com rigor – substituir ou omitir ingredientes pode originar deficiências nutricionais.

É comum as comidas caseiras apresentarem deficiências, como o excesso de proteína e carência em calorias, cálcio, vitaminas, e microminerais. Nos gatos, é comum serem pobres em gorduras ou utilizarem gorduras pouco palatáveis (ex. óleo vegetal).

Todos os ingredientes devem ser pesados com uma balança, segundo a receita. A diversificação apropriada de receitas pode evitar deficiências nutricionais.

Recomenda-se cozinhar as fontes de proteínas separadas das fontes de carboidrato. As fontes de carboidratos requerem mais tempo de cozedura, enquanto as carnes podem passar do ponto e desnaturar.

A carne deve ser cozinhada pelo menos 10 minutos a 82ºC. Os vegetais devem ser lavados e cozinhados. Cozinhar aumenta a digestibilidade e destrói os fatores anti-nutricionais.

Após cozinhar mistura-se ou pica-se todos os ingredientes garantir que o animal come tudo. Mesmo seguindo uma receita veterinária, a dieta apenas será equilibrada se o animal comer toda a formulação.

Os alimentos devem ser refrigerados (0 – 4ºC) até 3 dias. Quantidades maiores de alimentos devem ser congeladas (-20ºC) até 3 meses. No momento da alimentação, a comida deve ser aquecida até ficar morna, mas evitando queimar a boca do animal.

Os suplementos não devem ser cozinhados ou aquecidos, pois degradam-se. Devem ser mantidos separados e administrado antes ou depois da refeição.

Bem-vindo a O Meu Animal
Bem-vindo a O Meu Animal

Como as dietas caseiras não têm aditivos e são ricas em água, são suscetíveis ao crescimento de microrganismos. Logo, deverão ter atenção reforçada relativamente à mudança de odor e cor do alimento que possa indicar degradação.

De seguida, apresentamos os princípios da formulação de uma dieta caseira para animais. Após esta explicação, apresentamos receitas que poderá fazer em casa. Em geral, uma receita será constituída pela seguinte proporção de ingredientes:

Por peso da dietaCarboidratosProteínasGorduras
Cão68 – 73%25 – 30%2%
Gato45 – 60%35 – 50%5%

Fonte de carboidratos e fibra

Os cereais cozinhados são geralmente utilizados como fonte de carboidratos e fibra nas dietas caseiras. As fontes de carboidratos deverão corresponder a 45 – 60% da dieta no gato e 68 – 73% da dieta no cão, sendo o restante fontes de proteínas e gordura.

Os carboidratos são fontes de energia (calorias) e contribuem também com proteína, fibra e gordura. São geralmente utilizados milho, arroz, trigo, batatas e cevada. Poderá utilizar-se a soja para fornecer mais proteína ou a ervilha para fornecer mais fibra.

Fonte de proteína

Uma fonte de proteína animal deverá fornecer a maioria dos aminoácidos essenciais do cão e gato. A carne proveniente do músculo é semelhante em proteína e aminoácidos. Logo, é recomendado suplementar com outras fontes de proteína.

É recomendado incluir fígado uma vez por semana ou substituído no máximo metade da porção de carne se utilizado com mais frequência. O fígado permite corrigir deficiências de aminoácidos, contribuir com ácidos gordos essenciais, colesterol, vitaminas e micronutrientes.

A melhor fonte de proteína vegetariana é o ovo. A melhor fonte de proteína vegana é a soja, no entanto, é incompleta no seu perfil de aminoácidos.

Fonte de gorduras

O conteúdo em gordura de vários cortes de carne varia. Um bife de frango tem menos gordura que a barriga de porco. Se a fonte de proteína for “magra”, deverá adicionar-se uma fonte de gordura.

A fonte de gordura poderá ser animal (ex. banha, óleo de peixe) ou vegetal (ex. azeite, óleo). A gordura deverá compor pelo menos 2% do peso da ração para cães e 5% para gatos.

A gordura fornece energia e ácidos gordos essenciais. Se uma dieta é pobre em calorias, poderá adicionar-se cortes de gordura, peles de frango, azeite, ou óleo de peixe. Utilizar um corte de carne mais gorda também aumenta o conteúdo em energia.

Fonte de minerais (cálcio)

Uma dieta caseira raramente é balanceada em minerais, sendo deficiente em cálcio. Adição de leite ou derivados não fornece cálcio suficiente. Um suplemento de cálcio é necessário. Um suplemento de cálcio e fósforo, na proporção de 2:1, contendo também outros microminerais ajuda a corrigir deficiências nutricionais. 

Ossos, crus ou cozidos, não são uma boa fonte de cálcio ou de outros minerais. Isto porque o organismo não consegue absorver o cálcio dos estilhaços do osso que é ingerido. Aliás, estes estilhaços de osso são perigosos pois podem perfurar o intestino, pondo em risco a vida do seu animal.

Fonte de multivitaminas e microminerais

Uma dieta caseira equilibrada requer a utilização de suplementos, que por são sintéticos.  Idealmente, deverá utilizar-se um suplemento alimentar desenhado para suplementar dietas caseiras. Isto porque a maioria dos suplementos não são formulados para dietas com as deficiências comuns nas comidas caseiras.

Quando estes não estão disponíveis, poderá fornecer outros suplementos vitamínicos e minerais sob a supervisão do seu médico veterinário. Os suplementos alimentares são essenciais e deverão ser sempre utilizados para garantir o fornecimento de todos os nutrientes.

Nos gatos, poderá ser necessário fazer uma suplementação de taurina. Em dietas vegetarianas ou vegan, poderá ser necessário suplementar com arginina, ácido araquidónico, L-carnitina e colina. O (pouco) sal utilizado na preparação da dieta deverá ser iodado.

Receitas de dietas caseiras para cães e gatos

De seguida apresentamos combinações que poderá utilizar para fazer rações caseiras para o seu cão ou gato. Estas receitas foram formulas pela Dra. Rebecca Remillard e Dr. Stephen Crane para animais adultos saudáveis.

Apresenta-se exemplos baseados nas receitas apresentadas, em que pode optar por vários ingredientes. Também poderá optar por usar mais de que uma fonte de proteína (ex. frango e bife) ou fonte de carboidrato (ex. arroz e farinha de milho) em combinação.

As receitas veterinárias baseiam-se em cálculos nutricionais e não em testes. Logo, recomenda-se o acompanhamento do animal de companhia pelo médico veterinário.

Como preparar as receitas para animais:

  1. Cozinhe a proteína no forno ou microondas e os coza os carboidratos numa panela com água.
  2. Moa ou corte finamente a carne, polvilhe com os a farinha de osso, potássio, sais ou taurina, de acordo com a receita.
  3. Misturar todos os ingredientes, exceto o suplemento, e sirva ou refrigere.
  4. Forneça o suplemento imediatamente antes ou após a refeição.

Receitas de comida caseira para um cão de 18 kg

Apresenta-se uma tabela em que poderá fazer a combinação de vários ingredientes previstos, na quantidade apresentada, para produzir a dose diária de uma dieta caseira equilibrada para cães adultos saudáveis:

240 g de Carboidratos cozinhadosArroz, farinha de milho, aveia, batata, massa
120 g de Carne cozinhadaBife, frango, peixe, fígado
10 g de GorduraGordura de frango, gordura de bife, óleo vegetal, óleo de peixe
30 g de FibraCereais integrais, vegetais
4 g de Farinha de Osso(substituído por fosfato de dicálcio)
1 g de Cloreto de Potássio(suplemento, encontra-se como substituto de sal)
Suplementos 

Esta combinação de ingredientes apresenta a seguinte tabela nutricional:

NutrienteMatéria Seca (%)
Proteína21%
Gordura20%
Fibra6.5%
Cálcio0.66%
Fósforo0.59%
Magnésio0.1%
Sódio0.2%
Potássio0.6%
Energia (kcal)820 kcal

Por exemplo, se quiser cozinhar uma receita para o seu cão de 18 kg, poderá combinar os ingredientes da seguinte forma:

  • 240 g de arroz cozido;
  • 120 g de bife assado;
  • 10 g de óleo vegetal;
  • 30 g de feijão verde cozido;
  • 4 g de farinha de osso;
  • 1 g de cloreto de potássio;
  • Suplemento nutricional.

Consulte na nossa lista de 85 alimentos se tiver dúvidas do que pode dar de comer ao cão.

Receitas de comida caseira para um gato de 4.5 kg

Apresenta-se uma tabela em que poderá fazer a combinação de vários ingredientes previstos, na quantidade apresentada, para produzir a dose diária de uma dieta caseira equilibrada para cães adultos saudáveis:

60 g de Carboidratos cozinhadosArroz, farinha de milho, aveia, batata, massa
40 g de Carne cozinhadaBife, frango, peixe, fígado
10 g de GorduraGordura de frango, gordura de bife, óleo vegetal, óleo de peixe
1.2 g de Farinha de Osso(substituido por fosfato de dicálcio)
1.0 g de Sais (NaCl/KCl)(disponível nos supermercados)
0.5 g de Taurina 
Suplementos 

Esta combinação de ingredientes apresenta a seguinte tabela nutricional:

NutrienteMatéria Seca (%)
Proteína31%
Gordura28%
Fibra2.0%
Cálcio0.69%
Fósforo0.58%
Magnésio0.1%
Sódio0.4%
Potássio0.75%
Energia (kcal)250 kcal

Por exemplo, se quiser cozinhar uma receita para o seu gato de 4.5 kg, poderá combinar os ingredientes da seguinte forma:

  • 60 g de arroz cozido;
  • 40 g de frango assado;
  • 10 g de óleo de peixe;
  • 1.2 g de farinha de osso;
  • 1.0 g de sais;
  • 0.5 g de taurina;
  • Suplementos nutricionais.

Referência: Michel (2006); Remillard & Crane (2000)

Deixe um comentário