Yorkshire Terrier – Guia da raça

0

Yorkshire Terrier, uma raça pequena mas grande em personalidade. É uma das raças de cães pequenas mais populares. Os Yorkies ganharam a sua reputação com a sua devoção aos cuidadores, aspeto elegante e adaptação à vida em apartamento.

Características do Yorkshire Terrier

Os Yorkshire Terrier são cães convencidos, mas com razão – vivem em estilo e com a atenção permanente dos seus cuidadores. Muitas vezes viajam em malas para cães. Mas, mesmo assim, são cães que gostam de aventura.

Os Yorkshire Terrier adoram os seus cuidadores, sendo um ótimo cão de companhia. Mas, como Terrier, são desconfiados com estranhos e ladram. Logo, este comportamento tem que ser controlado de forma a viver em harmonia com os vizinhos.

Os Yorkies também podem ser agressivos com cães desconhecidos e perseguir animais selvagens. Para lá deste espírito corajoso e aventureiro, está um cão meigo que adora a atenção da sua família. Não são cães que gostem de estar muito tempo sozinhos.

Os Yorkshire Terrier também são muito atentos aos sentimentos dos seus cuidadores. Um cuidador tenso e muito protetor poderá gerar um cão neurótico. Por isso é importante manter uma relação saudável com o Yorkie.

Esta raça é ideal para crianças mais velhas, que já sabem respeitar o espaço do animal. Quando assustado ou massacrado poderá defender-se. Mas com exercício diário, como uma brincadeira na sala ou passeio, são ótimos cães de apartamento.

Os Yorkies são bons colegas de casa para outros cães e gatos, desde que tenham crescido com eles. Podem tornar-se possessivos dos seus cuidadores se um animal é introduzido na casa quando o Yorkshire Terrier já é adulto, podendo causar tensão.

Tamanho do Yorkshire Terrier

Os cães da raça Yorkshire têm uma altura de 20 a 22 cm no ombro e um peso de 1,8 a 2,7 kg. Os Yorkies tem tamanhos inconsistentes – é normal a mesma ninhada apresentar cães de tamanhos diferentes. É preciso ter cuidado com criadores que vendem os pequeníssimos Yorkshire Terrier “tea-cup”, uma vez que estão predispostos a doença genéticas e fraca saúde.

Personalidade do Yorkshire Terrier

Os Yorkies são cães inteligentes e confiantes, combinando um pequeno tamanho com um espírito aventuroso do Terrier. Esta raça apresenta uma grande variedade de personalidades.

Alguns Yorkies são uns doces, só querem mimos e seguem os cuidadores todo o dia. Outros são marotos e extrovertidos, investigando tudo. O ideal é o cuidador definir limites cedo e não mimar demais o seu cão.

O treino deve começar em idades jovens, sendo preferível do que corrigir maus comportamentos mais tarde. Como todos os cães, os Yorkshire Terrier precisam de socializar enquanto jovens, conhecendo muitas pessoas, animais, ambientes e experiências. Isto tornará o seu Yorkie num cão amigável.

Cuidados com o Yorkshire Terrier

Os Yorkshire Terrier adoram fazer longos passeios ou brincar no exterior. Mas como são cães muito ativos no interior, não é difícil fazerem o exercício que necessitam.

Em geral são cães recetivos ao treino, especialmente para fazer truques, agilidade ou obediência. Mas podem ser difíceis de treinar para fazer as necessidades no local certo, podendo ocorrer “acidentes”. O ideal é treiná-los de cedo e premiá-los quando fazem no local certo.

Com um pouco de paciência, o Yorkie será um cão muito bem treinado. Como cães caseiros, os Yorkshire Terrier não toleram bem os picos de frio e calor. Logo, muitas pessoas treinam os Yorkies para fazer as necessidades no interior, sobre um jornal ou uma fralda.

Os Yorkies adoram brinquedos que façam barulho. É importante o cuidador controlar os brinquedos para garantir que não foram roídos. Eles adoram brincar a ir buscar objetos, por isso bolas com o tamanho ideal para a boca deles (entre uma bola de golfe e uma bola de ténis) são ideais.

Os Yorkshire Terrier gostam de ladrar a todos os sons que ouvem. Por isso é necessário aplicar um bom treino para controlar este comportamento. A socialização também é essencial para garantir a segurança do Yorkie, uma vez que tende a meter-se com cães de maior porte.

Cuidados com o pelo e higiene do Yorkshire Terrier

O pelo longo, liso e sedoso do Yorkshire Terrier requer cuidados. Como o pelo tem apenas uma camada, a mudança de pelo é rápida e per de pouco pelo.

Os filhotes de Yorkie nascem com pelo preto que se torna azul e castanho com o desenvolvimento, normalmente após o primeiro ano. Quando ocorre mais cedo, normalmente tornam-se cinzentos e não azuis.

No dorso, o pelo é escuro com brilho azul na luz do sol. A cabeça é dourada e clara, com pelos castanhos que são mais escuros nas raízes. O pelo que cai sobre o focinho é longo e dourado. Já o pelo na base das orelhas e focinho é mias escuro. As patas dos Yorkies são castanhas até ao cotovelo.

A cor da pelagem do Yorkshire Terrier pode mudar com a idade, tornando se mais clara. As hormonas também podem afetar a cor. As fêmeas no cio ficam mais claras.

Cuidar do pelo do Yorkshire Terrier é complicado, especialmente se tende a formar nós. Se o pelo for mantido curto, uma escovagem suave diariamente mantém o pelo limpo. O pelo na área anal deve ser mantido curto de forma a manter a região limpa.

Os Yorkies, como qualquer raça pequena, sofrem de problemas dentários. Têm tendência a formar muito tártaro e a perder os dentes numa idade jovem. Por isso é importante escovar os dentes com regularidade e marcar uma destartarização no seu médico veterinário uma vez ao ano.

Como parte dos cuidados regulares, é importante ver as orelhas dos Yorkies. Uma orelha infetada terá secreções, estará avermelhada e poderá ter um cheiro repugnante. Se há pelos dentro da orelha, poderá ser necessário cortá-los.

O banho para o Yorkshire Terrier poderá ser necessário semanalmente, para manter a pelagem bonita e brilhante. Depois de molhar o pelo, aplica-se o champô e passa-se os dedos para remover a sujidade. Aplica-se condicionador e enxagua-se bem. Ao secar, ou ao pentear, pode-se aplicar condicionador seco. Não se deve escovar um pelo sujo, pois poderá partir os pelos. As unhas dos Yorkies devem ser cortadas após os banhos.

Alimentação do Yorkshire Terrier

A alimentação deverá ser ração seca dividida em duas refeições ao dia. A dose deverá seguir as indicações da marca da ração e ter em consideração o tamanho, idade, constituição, metabolismo e atividade do Yorkie.

É necessário ter cuidado para que o Yorkshire Terrier não fique obeso. O excesso de peso não fica bem nesta raça elegante e pode trazer problemas de saúde. O ideal é seguir as doses indicadas.

Os cães de raça Yorkshire Terrier tendem a ter um sistema digestivo delicado e serem esquisitos na comida. Problemas na alimentação também podem ocorrer por desconforto oral quando há problemas de dentes e gengivas.

Saúde do Yorkshire Terrier

Os cães Yorkshire Terrier são geralmente saudáveis. Mas, como todas as raças, têm predisposição para alguns problemas de saúde. Antes de comprar um Yorkie, é importante indagar sobre o estado de saúde dos progenitores, idealmente através de confirmação médico veterinária.

Algumas das doenças que afetam este animais, e devem ser excluídas dos progenitores, são a displasia da anca, displasia do cotovelo, hipotiroidismo, doença de von Willebran’s, trombopatia, e problemas oftalmológicos. Também poderão sofrer de:

  • Luxação patelar: quando a patela (ou rótula) do joelho são se alinha na perfeição pode causar problemas na locomoção.
  • Atrofia retinal progressiva: uma patologia oftalmológica degenerativa que lentamente poderá causar cegueira, sendo a perda de acuidade visual o sinal principal da doença.
  • Shunt porto-sistémico: há um desvio que faz com que o sangue do sistema gastrointestinal não passe pelo fígado, não sendo destoxificado, levando a sinais de toxicidade como epilepsia, falta de apetite e atraso do crescimento, em idade jovem.
  • Hipoglicemia: os Yorkies podem sofrer de baixo açúcar no sangue em situações de stress, principalmente em jovens, apresentando confusão, fraqueza, e episódios semelhantes a convulsões.
  • Colapso da traqueia: a traqueia não mantém a sua forma durante a respiração, colapsando e originando tosse seca e crónica.
  • Espirro reverso: quando o cão está excitado pode sofrer de espirros reversos, que não deverão ser confundidos com o colapso da traqueia.
  • Problemas de olhos, dentes e gengivas.

História do Yorkshire Terrier

Durante a Revolução Industrial, os trabalhadores escoceses foram para Yorkshire para trabalhar nas minas de carvão e indústrias. Com eles, trouxeram cães conhecidos como Clysdesdale Terrier e Paisley Terrier – cães muito maiores do que os Yorkies, utilizados para caçar ratos.

Os Clysdesdale Terrier foram cruzados com outros Terriers, talvez o English Black and Tan Terrier, o Skye Terrier, e o Waterside Terrier. Assim, apareceu o Yorkshire Terrier de porte pequeno e de pelo longo. Em 1861 há o primeiro registo do Yorkie numa exposição, descrito como o “Terrier escocês de pelo cortado”.

Um cão chamado Huddersfield Ben, nascido em 1865, tornou-se popular nos shows e ficou conhecido como o pai de todos os Yorkshire Terriers. A raça adotou o nome atual em 1870 devido ao local onde foi desenvolvida.

O registo da raça Yorkshire Terrier no British Kennel Club deus-e em 1874. E o primeiro clube de criação da raça Yorkshire Terrier em Inglaterra foi formado em 1898. O primeiro registo de um Yorkie nascido nos Estados Unidos data de 1872. Os cães Yorkshire Terrier começaram a competir em exposições caninas desde 1878. Nessas primeiras exposições, os Yorkies eram divididos por peso. Eventualmente, o peso oficial foi definido e deixaram de existir categorias de peso.

Artigo anteriorProlapso rectal em cães e gatos
Próximo artigoReceitas caseiras de biscoitos para cães
Joana C. Prata, Msc., tem um mestrado em Medicina Veterinária pela Universidade do Porto e é fundadora d’O Meu Animal. Sempre viveu rodeada de animais, tendo agora como companheiros dois gatos (a Rita e o Romeu), três cadelas (a Kami, a Inês e a Pota), uma tartaruga (o Nicholas) e uma colónia com cerca de dez gatos. Neste momento faz investigação na Universidade de Aveiro, como aluna de doutoramento e bolseira em Biologia e Ecologia das Alterações Globais, onde tenta identificar fatores ambientais que possam ter impacto na saúde humana, animal e dos ecossistemas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor introduza o seu comentário
Por favor introduza o seu nome aqui